Deputado do PT é denunciado por corrupção na Petrobras

O deputado federal Vander Loubet (PT/MS), que já é réu na Lava Jato, foi denunciado novamente por corrupção. É que a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, requereu a abertura de dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar crimes de corrupção passiva supostamente cometidos pelo deputado em contratações da Petrobras.

> Ministério da Justiça: Celulares de Bolsonaro foram alvo de hackers

Em nota publicada nesta quinta-feira (25), a Procuradoria-Geral da República (PGR) afirma que Loubet é acusado de ter solicitado o “pagamento de vantagem indevida para atuar no processo de contratação, pela Petrobras, de empresa norte-americana para fornecimento de asfalto” e para “interferir na participação de concorrência internacional de empresa para a construção e posterior afretamento de embarcações” para a estatal.

Como o crime de corrupção passiva teria acontecido em dois momentos diferentes, a PGR solicitou a abertura de dois novos inquéritos contra Loubet. No que diz respeito à construção de embarcações, contudo, a PGR também pediu a instauração de inquérito contra outras dez pessoas, ainda não identificadas.

Ainda segundo a PGR, os pedidos têm como base depoimentos de colaboradores. A procuradoria, porém, não deu mais informações sobre o caso, explicando que este é um documento sigiloso.

Lava Jato

Em 2017, a Segunda Turma do STF já havia aceitado denúncia contra o deputado Vander Loubet (PT-MS) por envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras, tornando-o réu na Lava Jato. De acordo com denúncia avaliada na época, o parlamentar solicitou e recebeu, entre 2012 e 2014, cerca de R$ 1 milhão, pagos em 11 parcelas pelo doleiro Alberto Youssef, um dos delatores da Lava Jato. Por isso, os ministros entenderam que o deputado também deveria responder pelo crime de organização criminosa. Mesmo assim, no fim do ano passado, Loubet foi reeleito para o quinto mandato na Câmara dos Deputados.

Resposta

Por nota, Vander Loubet disse que desconhece as acusações e o teor da peça apresentada pela PGR e, por isso, não pode comentar o assunto. O parlamentar, porém, se colocou à disposição da Justiça para elucidar quaisquer fatos que sejam necessários e garantiu que sua "atuação político-parlamentar é pautada pela honestidade, seriedade e responsabilidade, especialmente com a população de Mato Grosso do Sul – que lhe confia pela quinta vez consecutiva o mandato de deputado federal".

> STF aceita denúncia contra Vander Loubet, que passa à condição de réu na Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!