Dilma volta ao Congresso pela primeira vez após impeachment e fala contra privatizações

Foi lançado hoje a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Soberania Nacional, que dentre as principais bandeiras está a luta contra as privatizações das estatais. Entre os convidados da mesa estava a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), que voltou pela primeira vez ao Congresso desde que foi destituída do cargo de presidente da República em 2016.  O evento também contou com os candidatos a presidente da República em 2018, Guilherme Boulos (Psol) e Fernando Haddad (PT).

>Bolsonaro vê "babaquice" na PF, Moro"ingênuo" e Dória como "ejaculação precoce"

Com auditório Nereu Ramos lotado, a ex-presidente Dilma discursou conta as privatizações das empresas estatais, como Petrobrás e foi saudada pelo público e também defendeu a floresta amazônica como forma de manter a soberania nacional.

"O tamanho da floresta amazônica com a quantidade água que tem lá e de verde" é um dos pontos que mais emocionam Dilma, segundo ela. "É uma maravilha, quem nunca viu aquilo não entende a grandeza do nosso país", afirmou a petista.

Haddad leu uma carta do ex-presidente Lula, que está preso na sede da Polícia Federal em Curitiba. No documento, Lula afirmou que Bolsonaro está entregando as riquezas brasileiras para outros países. "Bolsonaro entregou a política externa para os Estados Unidos", afirmou Lula na carta lida por Fernando Haddad.

"Quem vai ocupar o espaço dos bancos públicos, da previdência? Quem vai fornecer ciência e tecnologia que o Brasil pode criar? Serão empresas de outros países que já estão tomando nosso mercado", afirmou o ex-presidente.

https://twitter.com/congemfoco/status/1169274048951586822

A Frente Parlamentar Mista em Defesa da Soberania Nacional é uma iniciativa do deputado Patrus Ananias (PT-MG). A frente será presidida pela senadora Zenaide Maia (PROS-RN).

Além de parlamentares, foram convidados para o evento a ex-presidente Dilma Rousseff, o ex-ministro Fernando Haddad, o ex-ministro Bresser Pereira, o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, além de representantes de movimentos sociais, sindicais, entidades da sociedade civil e da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Com informações da Agência Câmara

>Membros do PT, PSDB, PDT e PC do B lançam grupo de oposição a Bolsonaro

>Ricardo Salles deve ser convocado pela Câmara após quebrar acordo

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!