Congresso em Foco

[fotografo]Reprodução[/fotografo]

Servidor que criticar órgão em que atua nas redes sociais deve ser punido, diz CGU

29.07.2020 13:38 27
Atualizado em 01.08.2020 08:36

Publicidade

27 respostas para “Servidor que criticar órgão em que atua nas redes sociais deve ser punido, diz CGU”

  1. Cleyton Nicel A Ferreira disse:

    O autoritarismo começa assim, pegando um pedaço de liberdade de cada vez. Logicamente existem os sigilos necessários, mas o servidor se não consegue se opor, opinar ou manifestar dentro de seu trabalho que tenha todo o direito de expor sua expressão. Ainda mais quando sabemos o monte de desmandos e abusos que ocorrem na administração pública. Afinal de contas é o povo que manda no governo não o contrário, e quem manda tem todo o direito de saber o que acontece na administração PÚBLICA!!!

  2. Edison Sampaio disse:

    Eu acho q essa medida não tem nada a ver com autoritarismo ou censura. Faz parte do jogo. Se o funcionário vê algo errado em ser serviço, deve informar ao seu chefe direto em primeiro lugar e só depois aa ouvidoria do órgão. Cumpre, assim, o seu dever. Não concordo q funcionário deva publicar em redes sociais algum problema interno de sua repartição. Valorizo muito o princípio de subordinação. Se o funcionário quiser se insubordinar, deve se preparar logo para chutar o balde e arcar com as consequências. Essa conduta deve ser observada inclusive nas empresas privadas.

    • sigma7777777 disse:

      O servidor está subordinado ao serviço público, ao Estado brasileiro. Não está subordinado à chefia corrupta e seus conluios.

    • Cleyton Nicel A Ferreira disse:

      Roupa suja se lava em casa dizem, mas se não tem tanque e água dentro de casa se lave no chafariz da praça para não feder as roupas. Se o assunto não é resolvido nas paredes da repartição que se exponha as coisas, pois como o nome diz é SERVIÇO PÚBLICO e o dono do serviço, o cidadão pagador de imposto, precisa saber dos malfeitos.

  3. Capitalista disse:

    Temos Pms, militares da ativa fazendo propaganda politica pro bozo e nada é feito, tem um sujeito do rio que se diz pm que virou youtuber!!!!!! meu santo , e nada é feito com sujeito

  4. Jose Vicente disse:

    A juristocracia ditando a sua democracia. Os golpistas usando seus recursos para calar o povo.
    O fascismo não é apenas o pior de um balanço pendular. É uma mudança qualitativa na forma como a sociedade é governada. Sob o fascismo, a dissidência é criminalizada peça por peça. COCO DAS

  5. JULIO CESAR DIAS DA SILVA disse:

    Se você é servidor efetivo da Receita Federal pode falar mal SIM do Bolsonaro por receitar Cloroquina pro povo. Conflitos internos são resolvidos em salas fechadas, tipo primeiro copo de sangue é meu. Fico pensando nos servidores do Ministério da Saúde cheio de militares. Lá não é quartel.

  6. Jorge Teixeira Carneiro disse:

    A única empresa do mundo onde o funcionário fica meses em casa sem trabalhar, recebendo o seu salário integral, os seu direitos trabalhistas integrais e ainda pode falar mal à vontade do seu ”empregador” é no Serviço Público ”brazileiro”

    • JULIO CESAR DIAS DA SILVA disse:

      Ficar em casa sem trabalhar? Só se for você. Estou trabalhando mais em casa do que se estivesse presencialmente. E recebo meu salário integral porque passei num concurso PÚBLICO. Ficarei feliz se vc estiver pagando seus impostos em dia. Preciso de você para o Governo não atrasar meus 5 mil reais. Mire sua raiva pra outro setor. Recalcado.

  7. RômuloJ. Vieira disse:

    Estão certos!…Quer criticar?…Peça exoneração primeiro, arrume emprego em uma empresa privada, comece a criticar seus chefes e a empresa prá ver quanto tempo você dura no emprego. Qualquer governo deveria ter o mínimo possivel de funcionários públicos, depois de um certo tempo se acham donos do país!!!

  8. Magda ferreira santos disse:

    SE ISSO NÃO É DITADURA O QUE SERIA ENTÃO??

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via