Entenda o golpe que depôs Evo Morales na Bolívia

bolíviaChristina Vitalcorrupçãodemocraciaevangélicosevo moralesfeminismoFernando CamachoIgreja CatólicaigrejasJesus CristoLGBTmilenarismoparamilitaressatanássupremacismoteologia do domínioWilson Witzel
Comentários (5)
Comentar
  • Reginaldo Lucia

    É gópi, é gópi, é gópi, diz o jornalista abestalhado!

  • 13582196

    O uso do termo golpe não passa de falsidade ideológica, É FAKE NEWS espalhadas por corruptos, para tentar criminalizar a busca pela justiça com o intuito de conseguir a imunidade para a pratica do crime!

  • Pacificattore

    Não houve golpe nenhum na Bolívia.
    Eles simplesmente se livraram de um BANDIDO bolivariano, que adulterou o resultado das urnas.
    O mesmo aconteceu aqui no Brasil no 1o turno das eleições presidenciais do ano passado, quando o Bolsonaro JÁ LEVARIA NO 1o TURNO, só que ninguém fez nada na época…
    Os bolivianos estão de parabéns por se livrarem daquele traste…

  • Sandro Borges

    É estarrecedor como debates democráticos sobre economia, saúde, segurança pública entre outros, deram lugar a discussão sobre ideologia de gênero, religião, homofobia, negativa de direito de mulheres e nativos. Assuntos considerados ultrapassados por entendimentos cristãos (pelo menos no novo evangelho) de que devemos amar o próximo, aceitar as diferenças e tratar todos com os mesmos direitos e obrigações, voltam a ser debatidos e defendidos por quem se “veste” de soldado para uma cruzada cristã onde o que mais se vê é a disseminação do ódio, da negativa da miscigenação e pela perseguição às minorias. Será mesmo que o ser humano não aprendeu nada com as guerras, com a história e a Bíblia? Poderiam ao menos NÃO usar a religião cristã para justificar esses atos?

  • TEREZA GUILHERME

    Texto esclarecedor, como poucos até agora na imprensa nacional. As semelhanças da Bolívia, com o Brasil e também com outros países aqui da América Latina não são mera coincidência. Na reação popular equatoriana os lideres evangélicos neo-pentecostais também são atores de destaque nas negociações entabuladas após o impacto do movimento.
    Estes vetores sociais de nosso tempo passam ao largo das análises sofisticadas dos analistas, sejam de um ou de outro espectro político, com destaque para os daqueles no campo da esquerda que, acabam fixando-se na referência do predomínio do capital financeiro e a influência dos núcleos dominantes sobre a classe média….(verdadeiro mas não exclusivo como querem crer).