As sete mentiras antiambientais de Bolsonaro na ONU

AmazôniaAndré Limabancada ruralistaBolsonaro na ONUconamaEmmanuel MacronindígenasJair Bolsonarokim kataguirilei geral de licenciamento ambientalmeio-ambienteONUpolítica socioambientalpovos indígenasRicardo Sallestereza cristina
Comentários (8)
Comentar
  • Mário Buzzatto Ferreira

    Eu acho muita graça!
    Pra dar razão pra ela, a minha graça, vou começar dizendo que não votei e nunca votaria em alguém que se parecesse com o Bolsonaro!
    Mas, Putz…
    Votei três vezes em Lula, pois sabia que a Dilma era só uma fantoche!
    E, ele, Lula, O Imbecil-Mor, O Prepotente-Mor, O Megalomaníaco-Mor…
    Tinha em sua companhia, em seu governo, uma das maiores autoridades mundiais em assuntos “amazônicos”!
    Que , passou boa parte de sua vida num projeto, o PAS – Projeto Amazônia Sustentável!
    Marina Silva!
    A menina companheira de Chico Mendes!
    A seringueira filha da selva, ou sobrevivente dela e de suas malárias…
    Pois bem, Lula fez de tudo pra esvaziar Marina, moral e politicamente!
    Entregou seu projeto pra Mangabeira Unger!

    Então, esqueçam Bolsonaro!
    Ele é só mais uma consequência de todos os erros anteriores!

    De 93 até 2007, 2008, cansei de voltar de barco do Jari Celulose, na divisa do Amapá com o Pará…
    E pra pegar o Canal do Gurupi e chegar em Belém, a gente subia o Rio Amazonas…
    E por diversas vezes, na madrugada, vi quilômetros de toras de cerejeira e mogno, por mais de 300 m de largura, descendo o Amazonas em direção ao mar!
    As construções de usinas hidrelétricas como Santo Antônio e Belo Monte, a expansão das fronteiras agrícolas, inclusive em direção ao Pantanal, pra atender as demandas do Agro-Negócio e as megalomanias de Lula, de seus afilhados, os Batistas, seu compadre Bumlai…
    Tudo isto somado é pior um milhão de vezes do que qualquer discurso de Bolsonaro!

  • Elena

    Eis o que diz o sr. Rubens Ricupero, ex-ministro do Meio Ambiente e da Fazenda de Itamar Franco, e também Embaixador com longa carreira diplomática e também foi subsecretário da ONU entre 1995 e 2004: “Eu considero o discurso mais desastroso de todos os discursos feitos pelo Brasil desde que existe o debate da Assembleia Geral […] É um discurso agressivo e belicoso no fundo, na forma e no tom. Bolsonaro estava claramente desconfortável naquele ambiente, sentia que era um auditório hostil. Não teve amenidades. Em diplomacia, às vezes a forma é mais importante do que o conteúdo. Nesse caso, tanto o conteúdo quanto a forma são muito duros. ele confirma o que há de pior”, afirma o ex-ministro. Essa declaração de Ricupero foi feita ao jornal Estadão e publicada hoje, dia 25. “Nenhum presidente brasileiro jamais fez um discurso desse tipo fora do Brasil. É como lavar roupa suja fora de casa, de maneira escancarada. O discurso, às vezes, parece mais se dirigir contra os opositores internos do que externos. Mas sobrou para todo mundo. Cuba, Venezuela, França, ONU. Ele atacou todos”, analisa Ricupero. E eu endosso o que disse o sr. Raoni na Câmara dos Deputados: Bozzo tem que sair, antes que aconteça o pior.

  • Valdir

    Ué! Censuraram meu comentário só porque mostrei que a pesquisa no google da pesquisa que o autor da matéria recomenta “meio ambiente” e “bolsonaro” mostra como principais notícias só sites de mídias de esquerda, anti bolsonaristas, que pagam para impulsionar suas mentiras?
    Que vergonha! E ainda se acham democratas! São uma cambada de vagabundos sem caráter e anti-patriotas!
    Por falar em vagabundo, cadê o Verdevaldo? Ele está caladinho desde que a PF descobriu suas conversas com um dos hackers sobre a estratégia de como divulgariam o material “roubado” de quase 800 autoridades…

  • Daniel Araujo

    Os aspectos de meio ambiente têm posições diferentes e mesmo antagônicas, com apresentação de argumentos por defensores dessas posições. O livro “How to Lie with Statistics” e o ditado “torture e os dados confessarão (o que você quiser)” são realistas.
    Tenho visto dados bastante convincentes corroborando o presidente quanto à ocupação. Vale lembrar o caso emblemático dos 30% de corte das universidades, continuadamente brandido pelos Bolso-fóbicos apesar de todas as evidências de falsidade.
    Mas a “primeira falácia” está, no mínimo, exagerada.
    “abrindo a economia e nos integrando às cadeias globais de valor” não se refere apenas a meio ambiente. O governo Bolsonaro tem buscado implementar e promover as melhores práticas na economia e administração. Aparentemente o autor não tem preocupações além do meio ambiente, então é compreensível que não saiba ou não aprecie.
    Creio que as críticas em relação ao meio ambiente são válidas e precisam ser consideradas pelo governo, o que não parece estar acontecendo. É pena.
    Por outro lado, há muita coisa que faz sentido no governo Bolsonaro, inclusive quanto ao meio-ambiente, que os Bolso-fóbicos conscientemente ignoram e distorcem por ser inconveniente às suas convicções e discursos. E interesses, talvez.
    Temos um histórico de algumas décadas de irracionalidade ambiental e com relação a índios. Dificultamos coisas válidas, não impedimos coisas indesejadas e reforçamos discursos questionáveis. Não tenho dúvida de que muita coisa precisa ser revista, incluindo as políticas de demarcação de terras indígenas.
    Infelizmente, a linha de comunicação desse governo tem sido muito ruim, escolhendo sempre o conflito, mesmo quando uma abordagem mais inteligente estaria disponível.
    O que dá mais munição para um grupo como o do autor, com opiniões e teses válidas mas, nem por isso, automaticamente as corretas para o país.
    Vamos ver se um pouco de inteligência cresce na comunicação governamental para sairmos desse buraco sem futuro.

  • João Guilherme Maia

    QUEM DISSE QUE FORAM SÓ OS PAÍSES QUE ESTAVAM PRESENTE NA ABERTURA DA ASSEMBLEIA GERAL DAS NAÇÕES UNIDAS – ONU QUE SE SENTIRAM INCOMODADOS COM O DISCURSO DO PRESIDENTE JAIR BOLSONARO, NÃO A GLOBOLIXO, A CÂMARA E O SENADO SE SENTIRAM INCOMODADOS.
    Com o sucesso do discurso do presidente Jair Bolsonarona na Abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas – ONU, quem pensa que ele incomodou só os países que estavam presentes devido o seu discurso firme e contundente, dando entender que o Brasil não é mais aquela República de bananas como ele foi classificado um dia ou uma ex-colônia de Portugal, ele agora é uma grande Nação e independente e que não aceita ser manipulada por país nenhum país, ele aceita parceria como ele falou, mas com independência.
    Ele também incomodou muitas gentes aqui no Brasil, dentre elas como sempre a Globolixo. O jornal da manhã voltou a ser BOM DIA BOLSONARO, a Globolixo se sentiu tão incomodada que passou a maior parte do jornal falando só mal do presidente Jair Bolsonaro. Mais ou menos 80% do jornal criticando o discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas – ONU. Eles classificaram como um discurso agressivo.
    Quando ele apenas foi firma no seu discurso, ele apenas quis mostrar para os poderosos do mundo que o Brasil é apenas uma nova Nação, inclusive ele convidou todos os países presentes para visitar o novo Brasil. Além da Globolixo, a Câmara e o Senado também se sentiram incomodados e também atacaram o governo do presidente Jair Bolsonaro, derrubaram os vetos do presidente Jair Bolsonaro. O Senado adiantou votações que estavam pautadas para outubro. Mas não vai ter volta, o Brasil mudou e os políticos vão ter de se adaptar ao novo Brasil. Eles não esqueçam quem está com a caneta “big” na mão é o presidente Jair Bolsonaro. E tem mais o povo está com o presidente Jair Bolsonaro e não aceita mais aquela política da era petista no poder do toma lá, dá, cá.

  • Fabio Carvalho

    Olha… nunca vi tanta besteira e distorção de fatos! Vcs são incríveis!

  • O Portal da Teologia

    A única solução para reverter tudo isto e fazer com que o Brasil olte a ser um País sustentável

    • João Guilherme Maia

      Eu só queria saber porque os governos dos últimos trinta anos não fizeram nada, será que era porque eles estavam apenas interessados em desviar o dinheiro público e se tornar milionário como o Lula que teve direito de sair na revista Forbes que trata só de milionários por este mundo afora, ou fernando Henrique Cardoso que comprou um apartamento milionário em Páris. A Dilma comprou uma tremenda fazenda. Aí o presidente Jair Bolsonaro acaba com a farra do dinheiro público, ele está errado.

      • O Portal da Teologia

        É um importante questionamento que temos que fazer, também para a classe da população que defende um regime de governo que foi e será sempre corrupto por conta dos votos que eles trocaram por promessas ou ninharias!