Lira nega que sancionará o orçamento no lugar de Bolsonaro

Publicidade
arthur liraauxílio doençahamilton mourãoJair Bolsonaroorçamentoprevidênciaseguro desemprego
Comentários (2)
Comentar
  • Jorge Teixeira Carneiro

    Aceitem um ”e nem pode”, junto com um lencinho, porque como bem disse a filósofa, ”o choro é livre”.

  • Milton Souza

    Gente, como é que pode ser cortado cerca de R$ 30 bilhões de despesas obrigatórias com a Previdência, auxílio-doença e seguro-desemprego para acomodar emendas parlamentares? Quer dizer então que as emendas parlamentares para gastar com obras nos estados a que cada parlamentar pertença, muitas vezes fictícias ou que não terminam nunca, valem mais que os 30 bilhões para gastos com coisas sérias?