PM que prendeu professor por “Bolsonaro genocida” é afastado da PM e será investigado

abuso de autoridadeadesivoafastaafastadoafastamentobolsonaro genocidaCaiadoditadura militarEstado de goiásgenocidaGoiâniaGoiásgoverno de goiásJair BolsonaroLei de Segurança NacionalmanifestaçãomanifestaçõesPMPM de goiáspolicial militarpresoprisãoprofessor presoprotestosecretaria de segurança públicatrindade
Comentários (5)
Comentar
  • ezequiel-sp

    Professor que defende bandido? Estamos fuuuuuu

    • Pedro Henrique

      Chora gado, o fim está próximo.

      • ezequiel-sp

        Vc notou pq a educação despencou no Brasil? Quem chora somos todos nós

  • José Oliveira

    Esse sujeito não é um Policial na melhor acepção desse termo. É mero sabujo igual a milhares de outros, infiltrados dentre os contingentes policiais pelo Brasil afora.
    Basta ver a postura arrogante determinando a retirada arbitrária de um adesivo do carro do cidadão.
    Esse imbecil por acaso, é um preposto do tal Bolsonaro, para defendê-lo com tanto zelo?
    É membro do Ministério Público para posar de fiscal da Lei?
    E, logo a famigerada Lei de Segurança Nacional (que é uma excrescência remanescente da ditadura), inclusive, sem mais validade alguma.
    Deveria ter recebido voz de prisão por abuso de autoridade, pois, o próprio cidadão, assim como qualquer outro poderia fazê-lo, em virtude desse fantoche haver cometido esse crime em flagrante delito.

    • Jorge Teixeira Carneiro

      Esse cara também não é professor, é militante partidário e ardoroso defensor do Ladrão Impune.