Homem que perseguiu ativista LGBT por dois anos é condenado à prisão no PR

Aliança Nacional LGBTGrupo DignidadehomofobiaLGBTNietzscheTJPRToni Reis
Comentários (4)
Comentar
  • Raimundo Carvalho

    Então, o sujeito comete crimes, é condenado. e ninguém pode saber quem foi? Quando ele sair da prisão vai continuar cometendo os mesmos crimes. Temos o direito de saber quem foi. Afinal esse marginal pode ter cometido os mesmos crimes contra outras pessoas, que não ousaram denunciá-lo, e vai continuar, certamente, a procurar novas vítimas.

    • Jorge Teixeira Carneiro

      Esqueceu da norma do UOL? Não é criminoso, é só ”suspeito”.

    • 13582196

      De acordo com os Advogados do Lula e dos Ministros do Supremo, o suspeito é inocente e fica livre até o STF julgar o último recurso dele!

      • Jorge Teixeira Carneiro

        Tem que ser julgado em quarta instância. E depois aguardar os embargos e agravos.