Secretários de Saúde querem toque de recolher nacional

Carlos LulaConasscoronavíruscovid-19estadosgoverno federalisolamento socialJair Bolsonaropandemiatoque de recolher
Comentários (5)
Comentar
  • Valdir

    “O texto traz críticas ao governo de Jair Bolsonaro e pede uma gestão federal que fixe padrões para os estados e cidades seguirem.”

    E na cabeça do Carlos Lula (que nome, não?), quem estaria à frente dessa “gestão federal”?

    Essa carta é um atentado ao direito constitucional de liberdade do povo, um verdadeiro ataque à democracia, e tentativa de impor uma ditadura à nação, a exemplo do que ocorre em alguns estados/cidades.

    O único Poder que, constitucionalmente tem poder para essa gestão a nível nacional, é o Poder Executivo, pelo Ministério da Saúde.

    • Jorge Teixeira Carneiro

      Quem defende um negócio desses tá ”com a vida ganha”.
      Não precisa trabalhar para receber.

      • Valdir

        Vdd!
        Mas, acredito que tem mais coisas por trás disso.
        Os governadores viram na doença uma excelente chance de projeção política. Não à toa recorreram ao STF para não permitirem que o ministério da saúde ficasse à frente das ações de combate à então epidemia. Com a interferência do STF, coube ao Poder Executivo tão somente o repasse de verbas aos estados e municípios para esse combate.
        O que fizeram?
        ROUBARAM o dinheiro dos pagadores de impostos: hospitais de campanha superfaturados e não conclusos, respiradores que não funcionam e não entregues, luvas, leitos e outros insumos superfaturados e desviados, etc.
        Depois desmontaram tudo, não acreditando numa segunda crise, e tá aí a M… que fizeram.
        Agora que o bicho pegou e a população não vai perdoar, querem jogar a batata quente para o Presidente. Dizem, conversa de corredores do Palácio, de que ele já avisou que não vai segurar essa batata quente, que pertence aos governadores.

        • Jorge Teixeira Carneiro

          Aqui no RJ só ficaram prontos 2 hospitais de campanha, os outros 5 ou 6 ficaram só na imaginação do Iabas.
          Mas mesmo esses dois já foram desmontados.
          Ou seja, fizeram um auê, gastaram uma grana firme e no final não sobrou nenhum para atender a população.

          • Valdir

            Pois é!
            No Amazonas compraram respiradores “inadequados” em uma adega, sem licitação, pagando 316% mais caro do preço praticado no mundo, e agora que lá virou o “samba do crioulo doido”, a culpa é do Presidente e o ministro da saúde é quem é investigado. O governador e o prefeito de Manaus, ladrões, culpados pela crise e pelas mortes, estão livres, soltos e leves.