O PL da progressão continuada – não se melhora a educação por leis ou decretos

Alunos repetentesanalfabetismoboa educaçãocrise brasileiraEducação no Brasilescolaridadeescolaridade incompletaescolas brasileirasFórumJoão Batista Araujo e OliveiraMECPL 336/2017PL da Progressão Continuadaprimeiros anos de ensinoqualidade de ensinosenador Wilder Morais
Comentários (2)
Comentar
  • Walldemar Sobrinho

    Uma educação de esquerda para um povo de esquerda. O mérito e o demérito têm de ser tratados de forma igual. Tivemos um ex-prizidenti que se orgulha de nunca ter lido um único livro sequer e mesmo assim ter muitos títulos de doutor. Claro, doutor dos imundos que votaram nele e na jumenta vermelha. Sendo o ex-prizidenti o grande ídolo e expoente máximo desta geração de inúteis e imprestáveis, vemos que o objetivo da nossa educação é inquestionável: formar cidadãos de esquerda, ou seja, medíocres e incapazes que irão parasitar o grande Estado-teta.

  • Bento Sartori de Camargo

    Direto e objetivo: país que não investe pesado na altíssima qualidade da Educação, desde o deslocamento do aluno até o estabelecimento de Ensino, Um excelente local de estudo, desde instalações civis, funcionários de apoio altamente qualificados, um gabaritado corpo docente, período integral não apenas dentro do estabelecimento mas muitas atividades externas conectadas com o aprendizado, esportes de todas as modalidades, passeios interessantes e instrutivos, um Estado que pague bem o profissional escolar, uma alimentação de ótima qualidade, currículo escolar com inclusão de matéria sobre os modelos políticos existentes no mundo e principalmente o nosso modelo e as prerrogativas e impedimentos dos Três Poderes e das três esferas de governo entre tantas outras coisas. Quanto a “repetir o ano” isso é fácil de resolver: simplesmente o aluno vai eliminando matérias e devendo as que não consegue entender até ter nota suficiente, fim. Pais que fizer isso, em no máximo três décadas sentirá uma alavancada geral no domínio do conhecimento e claro, de tecnologias que é obrigado a importar, deixando de dominar, produzir e exportar aos países que dela necessitam. Simples assim.