Eleições 2018 e o direito de escolher as melhores alternativas para o Brasil

ÁgoraBolsonarociro gomescrise brasileiraDatafolhademocraciaeleiçõeseleições 2018Fernando Collor de MelloGeraldo AlckminGlauco HumaiJair Bolsonarojovem panleonardo barretoLuciano HuckLulaMarina Silvapolíticapresidência da RepúblicaRenova BR
Comentários (3)
Comentar
  • Walldemar Sobrinho

    De forma prática, se um esquerdista for eleito (quase certo), o Brasil continuará sendo um “país” de gente vagabunda e improdutiva, terreno fértil para a criminalidade, como temos visto. O resto é só encheção de lingüiça.

  • Fábio

    A candidatura do Lula não é questionável como o jornalista sugere, mas impossível juridicamente. O que se pode discutir, e mesmo isso seria uma aberração, é a possibilidade dele ser preso (o que deve ocorrer dentro de um mês). Já quanto à sua candidatura não há o que discutir, tendo isto sido dito por seis dos sete ministros do TSE.

  • ezequiel-sp

    As pessoas estão buscando o candidato Bolsonaro por um simples motivo: Estão buscando alguém que combata tudo aquilo que o PT/PMDB mostrou serem capazes de fazer numa administração de um país. Por outro lado não adianta correr só para um lado porque vamos eleger o menos pior,(deveríamos). Agora, você pode eleger quem você quiser nesse país. Do mais fraco ao mais forte e capacitado nome.O “sistema” eleitoral brasileiro faz com que qualquer um que lá entrar vai ter que “comer” na mão da maior bancada que nada produz,(incluem-se nela qualquer partido). Enquanto cada estado não gastar o que arrecada em impostos federais, vai acontecer exatamente isso. O Congresso vira um “balcão” de negócios e chora mais quem recebe menos,(quem produz mais no caso). Cada estado deveria mandar pra União somente 20% do que arrecada em impostos federais. Do jeito que está a “indústria” da seca não vai ter fim, a Sudene sempre vai receber dinheiro para o desenvolvimento que não chega a quem deveria e vamos eternamente ser o país do futuro. Outra coisa: Voto facultativo é primordial – Quando no Brasil houver IGUALDADE entre votantes, quando o voto valer de acordo com os habitantes de cada Estado/município ai haverá melhores representantes. Por enquanto só “espuma”. A ladroagem vai continuar a mesma