Renovação para além das campanhas: o gabinete compartilhado

Alessandro VieiraCâmaraCongressocrise políticaeleiçõeseleições 2018Filipe Rigonimandato compartilhadoMovimento Acreditorenovação na políticaSenadoTabata Amaral
Comentários (1)
Comentar
  • Fábio

    A esquerda é especialista em dar um nome bonitinho e modernoso para coisas ruins, ou mesmo para manter tudo como está, sem que isso fique muito na cara.
    Perceberam que estavam na contramão da história com seu DNA patrimonialista e com o Estado obeso que defendem por essência. Políticos liberais, com um discurso verdadeiramente novo em nossa política, passaram a cortar gastos, inclusive com pessoal, diminuindo o número de cargos comissionados. Evidentemente a esquerda não está disposta a cortar gasto algum, estão se lixando para o contribuinte, e para justificar seus odiosos gabinetes lotados inventaram essa desculpa do mandato compartilhado, não é nada mais que isso.
    Além da exploração do contribuinte, a ideia de mandato coletivo é antidemocrática, pois a população elege apenas uma pessoa, não um grupo.