São vidas, não são estatísticas

Ágatha Félixcrime organizadomortesPânicopoliciais mortosSegurança Públicaterrortráfico de drogasvidas perdidasviolênciaviolência policial
Comentários (1)
Comentar
  • Lucas

    aos fatos, não existe evidencia nenhuma do tiro de fuzil ter sido disparado por um policial.
    fato dois, o estado atual não ocorreu do dia para a noite, e certamente são consequencias dos anos do psdb a frente do governo paulista, fomentando e dando regalias aos lideres do pcc, quem não se lembra do acordo do governo do psdb com a cupula do pcc para acabar com os ataques contra a policia.
    as greves das policias durante os anos FHC, que ja demonstravam um descaso do psdb com a segurança publica.
    esse discurso bravateiro que punição não resolve o crime. fico me questionando qual a solução ideal na cabeça de politicos como o autor. seria dar um cartão do bolsa familia para o criminoso? exigir que a familia da vitima adote o bandido para recupera-lo? o estado atual é consequencia direta das politicas adotadas por estes mesmos vagabundos que agora estão cheio de teorias sobre o que é melhor para o brasil.
    o brasil precisa de menos bravata e mais ação, por isso o presidente foi eleito, chega de vagabundo com teses absurdas como estas, violencia se trata com ação, bandido que não tem medo da policia vai tocar o terror no país. foram propostas como as do autor implementadas nos anos psdb que levaram o brasil ao estado de violencia sem freio.