Defender o STF é a tarefa democrática do momento, segundo Ricardo Cappelli

dias toffolidiogo mainardiMPFRicardo CappeliRicardo CappelliSTFsupremo tribunal federal
Comentários (6)
Comentar
  • wzfr

    DEFENDER O INDEFENSÁVEL ALÉM DE IMORAL É IGNÓBIL E VIL…..

  • Bento Sartori de Camargo

    Pare de bostejar matérias seu aprendiz de jornalista esquerdopata. Você calado o Brasil agradece e a sociedade também. Tua “ficha” te condena!!!.

  • Claudio Santos

    O que esse senhor diz só existe na cabeça ‘apaixonada’ dele. Alguns ministros do STF estão se fazendo de vitima e, ao mesmo tempo, assumiram o papel da acusação, da investigação, da inquisição, dos juízes e dos executores. Sem fato(s) ou investigado(s) determinado(s) o processo corre como um ardil intimidatório, escondido nas sombras e pronto para pegar qualquer um na armadilha, como na época de Tomás de Torquemada, o “martelo das bruxas”. Um completo absurdo jurídico, violando inclusive o artigo 5° da Constituição Federal. E os primeiros a afirmar isso são seus próprios pares do STF e outros juristas consagrados.

    Já o outro caso referido, ao contrário do que foi dito pelo autor, tem fatos e réu determinados. Antes de passar por Moro, o Ministério Público e a Polícia Federal investigaram, planejaram e procederam cuidadosamente suas ações para ter certeza do que estavam fazendo, lembrando que tudo começou com um doleiro que “lavava” dinheiro num posto de gasolina e que, à princípio, nada tinha a ver com Lula.
    Depois da 1ª instância, o ex-presidente foi condenado por unanimidade pelo TRF-4 (2ª), que ainda aumentou a sua pena para mais de 12 anos. As dezenas de recursos e habeas corpus que se seguiram foram todos rejeitados por 3 instâncias, inclusive pelo STJ por unanimidade (5 desembargadores) e, finalmente, os embargos restantes foram rejeitados pelo TRF-4.

    Os cidadãos se manifestam porque querem ver o país a limpo. Eles só querem voltar a andar nas ruas sem medo de serem felizes porque andam dentro da lei e não devem favores a ninguém.

    Por favor, avisem a esse senhor que na monarquia (ou na tirania) o soberano é o rei. Na ditadura o soberano é o ditador. Já na democracia dizem que é o Presidente da República. Não, não é. Numa verdadeira democracia quem manda é o povo, Só que muitos ainda não assimilaram, não entenderam ou não querem entender isso.

    • Bento Sartori de Camargo

      Falou tudo Cláudio, ótimo!!!.

  • Ernesto Freire Pichler

    Parabéns pelo artigo, de grande clareza.

  • Ernesto Freire Pichler

    Seria bom se você lesse o artigo. Quem assume o papel de investigador, promotor, juiz, e executor é o Moro, esse bandido que a direita adora. Partido quadrilheiro: o PSL? O PP? O PTB? O PSDB? O PMDB? O DEM? Oh não! É só o PT. Elevar o país ao nível da vergonha entre as nações, dirigido por um astrólogo maluco