Quase 60 mil pessoas têm direito a foro privilegiado no Brasil

autoridadesforo especialForo privilegiadoimpunidadeJustiçapictures
Comentários (6)
Comentar
  • Paulo

    Os parlamentares deveriam entender que foro não protege ninguém já que são válidos para todos da mesma classe de profissionais.
    Se não existisse o foro, todos se tornando vulneráveis, teriam que pisar em ovo e assim pensaria várias vezes antes de cometer algum deslize e evidentemente existiria menos corrupção.

  • Paulo

    Falando em urna eletrônica imagino que deve existir sim abelhinhas mas não devem trabalhar para todos imagino, apenas para alguns candidatos mais influentes em fazer a coisa errada, caso contrário ficaria evidente demais.
    Me parece que é cada vez mais notável a desconfiança de muitos sobre o sistema. O motivo deve ser pelo que vem acontecendo nos últimos tempos, ou seja, escândalos e mais escândalos sobre crimes cometidos nos setores do governo.

  • Nondemiro

    Projeto do senador paranaense Alvaro Dias, o fim da prerrogativa de foro foi aprovado pelo Senado no ano passado mas caminhava a passos de cágado na Câmara e dificilmente será votado neste ano….

    • Paulo

      Pois é, deve existir parlamentares dispostos a travar temas que lhes prejudicam. Agora só falta para que esses pulhas sejam reeleitos no próximo pleito.
      Mas fico a desconfiar dessas urnas eletrônicas que provavelmente deve dar preferência aos que compraram votos.
      Uma boa medida seria o povo lutar por uma auditoria nessas urnas para ver se encontra alguma abelhinha.

  • Paulo

    Os de índole corrupta na sua maioria justificam a existência necessária do foro e a maioria dos seres pensantes(Maria vai com os corruptos) acabam concordando.
    Por isso deixa de observar que nos países onde a Democracia funciona a pleno vapor não existe foro específico como no Brasil, são todos nivelados por baixo.

  • mariossergio

    Trocando em miúdos, constituições, federal e estaduais, foram promulgadas por agentes dos governos e nelas foram incluídas cláusulas que protegem a si mesmo. Típico de nossos governantes, legislar em causa própria.

    E pior, no caso do Congresso, aqueles que serão julgados posteriormente são os que indicam seus julgadores! Seria cômico se não fosse trágico…