Dona de dois apartamentos no Leblon, filha de Luiz Fux recebe auxílio-moradia de R$ 4,3 mil

auxílio moradiacármen lúciacrise brasileiraLuiz FuxMagitraturaMarianna Fuxpicturesregalias do judiciárioSTF
Comentários (3)
Comentar
  • O ELEFANTE NA SALA

    Este tema dá engulhos e vômitos, mas não deve ser considerado à parte da questão muito mais ampla e cabeluda: a desordem salarial no serviço público e a perpetuação de nichos de privilégios inaceitáveis. Os magistrados, justo ou não, sempre ganharam acima do restante do funcionalismo, até que foram atrelados ao teto (subsídio do STF) em percentual de 90 a 95%. A proposta foi do Jobim e o CN aprovou na forma de emenda constitucional. Na época, as finanças públicas iam de vento em popa e ninguém chiou. Com o arrocho do atual governo para rebaixar o teto (que acumularia uma perda de cerca de 25%) os caras que ganham ‘oficialmente’ 90 ou 95 por cento do teto foram ultrapassados por milhares de servidores, a maioria das Casas Legislativas – que bateram no teto. Não só servidores de nível mais alto, diga-se. Nesse ambiente, o estamento de juízes e membros do MP esperneia, com carradas de razão. E a generalização do auxílio-moradia, que deveria ser casuístico e temporário, passou a significar uma forma de restauração (parcial) da antiga diferenciação hierárquica. Ao apreciar a matéria em março, ainda mais sob o constrangimento da “noblesse oblige”, os membros do STF vão dar um nó no bestunto. Vão se defrontar com o indecidível que oprime vastas áreas da vida nacional… Bem, eles estão lá pra “errar por último”…

  • Walldemar Sobrinho

    Essa jovem deve ser um Einstein da magistratura, provável que deve ter sido juíza aos 20 anos pra conseguir ser desembargadora aos 35. Parabéns a jovem por tanta capacidade intelectual, sem dúvida, um cérebro privilegiado a ser estudado.

  • Jose Bem Maior

    Os poderes estão envenenados pela corrupção, instituíram o roubo do dinheiro público com bases pseudolegais. Depois reclamam que o povo junto com os militares querem tomar as rédeas do país, mas não tem jeito.., a tendência é essa mesmo. Somente um homem com uma arma na cintura e um fuzil apontado na cabeça dos ladrões é que eles interrompem o furto. => Pale Rider <=