Tributação de grandes fortunas “nunca esteve em minha agenda”, diz Maia

Alencar BragaErika KokayPaulo Guedespresidente camara dos deputadosreforma tributáriaRodrigo Maiataxação de grandes fortunas
Comentários (1)
Comentar
  • Gaetano Galtieri

    Creio que pouca gente sabe que o IGF já faz parte da Constituição Federal de 88:
    “Art. 153 VII. Compete à União instituir impostos sobre: …grandes fortunas, nos termos de lei complementar.”
    Só que nunca, nunca, foi regulamentado. Aí vem o Rodrigo Maia, confessando que nunca pensou e, se depender dele, nunca pensará nisso mesmo sendo deputado federal desde 1998 !!! Parece até que está pior do que antes. Aliás uma “curiosidade”: Ele obteve mais votos da 1ª do que na última vez em que foi eleito. Tudo o que vejo dele hoje ou são piorias dos PLs ou são críticas aos integrantes do Governo Federal ou são bloqueios antidemocráticos às redes sociais.
    De volta ao IGF: A lei na França serve como referência na imposição de um imposto sobre fortunas. O ‘impôt de solidarité sur la fortune’ incide anualmente sobre patrimônios de pessoas físicas superiores a um milhão e trezentos mil euros e as alíquotas variam de 0,55% a 1,5% (para patrimônios superiores a dez milhões de euros).
    Fontes: CF88 e Wikipedia