Indicação de Eduardo Bolsonaro a embaixada abre guerra de pareceres no Senado

Alessandro VieiraDavi AlcolumbreDonald TrumpEduardo Bolsonaroestados unidosflavio bolsonaronepotismoRelações ExterioresSenado
Comentários (3)
Comentar
  • Felix

    Pode ter uma guerra de pareceres mas qualquer bom senso vê que a indicação é puro nepotismo e que o dudu deslumbrado não tem qualificações mínimas para ser embaixador.

    • Wisdenil Franco

      Prezados (as), boa noite!
      O que o Leitor Felix compartilhou conosco, é de extrema importância para nós, brasileiros, que votamos e nem lembramos (eu sou réu confesso) em quem, ou que Partidos, nas duas últimas eleições. Penso que a atitude presidencial de “segurar” a indicação do filho, até “obter” a certeza da sua aprovação na sabatina no Senado, é a maior e mais cabal prova do “nepotismo descarado”. ainda que “entendidos” do Senado argumentem se é, ou não é “função política”, não nos esqueçamos de que ele vai receber verba dos cofres públicos brasileiros, onde depositamos o suor do nosso trabalho em forma de impostos e mais impostos. E fico a pensar…não temos nos quadros formados pela renomada Rio Branco, a Casa de Formação de Embaixadores e Diplomatas brasileiros, alguém com mais base do que um sem base total, além de falta de compostura. Um Diplomata Brasileiro estuda em torno de 11 anos, até poder entrar para os quadros oficiais representativos da nossa nação. Pergunto: Por quê, um sem noção, tem que gritar ao microfone que não lhe foi concedido, e, sim, a outrem, que entre as suas qualificações pessoais e profissionais…”sabe fritar hamburgers, bem!!! Brasil mostra a tua cara……

      • Edison Sampaio

        (kekeke!!!)
        Acho q o fritador de hambúrguer não será aprovado. Se a votação fosse aberta, poderia ser aprovado, mas no escurinho a derrota será humilhante. Provavelmente o fritador de hambúrguer conseguirá MENOS de 15 votos.