Ministros do STF elevam os próprios salários para R$ 39 mil no próximo ano

Alexandre de Moraescármen lúciacelso de mellocontas públicasdias toffoliedson fachingastos públicosGilmar MendesJudiciárioLDOLOALuís Roberto BarrosoLuiz Fuxmarco aurélioorçamentoreajustereajuste salarialRicardo Lewandowskirosa weberSTFsupremo tribunal federalteto salarial
Comentários (6)
Comentar
  • Jeferson Matos

    Nada justifica o aumento dos salários desses seres.

  • Hideraldo Hito

    STF: Suprema Troca de Favores.

  • Bento Sartori de Camargo

    Como a Gestão Pública é um LIXO em termos de Salários, uma verdadeira baderna desorganizada. Ora é elementar que todo e qualquer funcionário público dos Três Poderes e nas três esferas de governo, receberá sempre o MESMO ÍNDICE DADO AO SALÁRIO MÍNIMO., nada mais equilibrado e justo. Chega de sustentar vagabundos e patifes no Poder!.

    • Nestor Oliveira

      Os jornalistas da tv, especialmente os da Globo News, muitos beneficiários do imposto de renda reduzido das PJ, estão fazendo das tripas coração para persuadir a audiência de que uma defraudação do erário está sendo perpetrada com o reajuste do STF. Quando foi proposto o subsídio atual, de 33 mil (23 líquidos), Sardenberg ficou isolado ao afirmar que o valor era adequado para o nível de responsabilidade dos ministros; o mesmo Sardenberg agora está contra, transcorridos mais de 3 anos do último reajuste. O que aconteceu nesse interregno? Certamente o STF (merecidamente) angariou bastante antipatia desde então, muito em função da teatralidade das sessões na TV. A economia também piorou. Mas o que se exacerbou mesmo, ao nível do paroxismo, foi o rancor e o fundamentalismo populista dos profissionais da mídia, supostamente contra o estamento burocrático do Estado (que merece a desafeição), mas na realidade contra os escalões mais bem remunerados, já que jamais se propuseram a apontar e condenar a “baderna desorganizada” indigitada pelo sr, Bento Sartori.

  • ezequiel-sp

    Concordaria se fosse por “produtividade”, exemplo: Dallagnol, Moro, TRF4…menos “eles”..o quarteto de ouro que denigrem o brasileiro que pensa só um pouquinho. Não precisa pensar muito não…

  • Nestor Oliveira

    Muito decente (e contida) a matéria do Fábio Góis. Pena que não podemos esperar jornalismo desse quilate na avalanche de matérias que deverão se seguir em toda a mídia nos próximos dias. É um tema-tabu, nesta época de rancores, ressentimentos e patacoadas (no fundo, muita inveja inconfessável). Sugiro três tópicos para os debates raivosos: (1) será que os distintos parlamentares poderiam votar com urgência a desvinculação dos magistrados estaduais, pretexto do bloqueio do mesmo reajuste no ano passado? (2) será que os distintos parlamentares poderiam votar uma regulamentação decente para o auxílio-moradia, ora pendurado na pena do Fux? (3) não menos importante, sempre que ‘consultores’ e jornalistas endinheirados começarem a esbravejar contra, será que a imprensa imparcial poderia esclarecer que o imposto de renda na fonte pago pelos magistrados não desfruta das benesses celestiais do modelo PJ? “Escolhas trágicas’ e “penúrias” á parte, os parlamentares que se re-elegerem vão aprovar o reajuste, que servirá também como parâmetro dos seus contracheques.