Mercado será o principal norte do governo Bolsonaro, diz presidente do PSL

autogolpeBolsonarocorrida presidencialditaduraeleiçõeseleições 2018Folha de S​.Paulogoverno federalgustavo bebbianohamilton mourãoJair BolsonaroLuciano BivarOnyx LorenzoniPaulo GuedesPSL
Comentários (6)
Comentar
  • Fábio

    Finalmente. Nunca tivemos uma economia liberal, tanto que nosso mercado é um dos mais fechados do mundo e o Brasil um dos ambientes mais inóspitos para se fazer negócio. Temos um Estado maior do que nossa sociedade consegue suportar.
    Já passou da hora de privilegiar o livre mercado, condição base para a prosperidade econômica.

    • Periferia Mental

      temos um estado irrelevante para nossa população que paga enormes impostos e não vê nenhum retorno, os tais mercados (quem são, dê nomes, são fastasmagorias?) só mamam no Estado, nossa economia é formada por oligopólios que mandam no estado, cagam no estado, elegem todos os presidentes, governadores e prefeitos, senadores e deputados

      • Fábio

        Exatamente. É tudo o contrário do que apregoa o liberalismo. O modelo econômico esquerdista sempre descamba nesse obsceno capitalismo de Estado, de compadrio com “campeões nacionais”, afinal economia socialista é uma impossibilidade lógica.
        Teremos a oportunidade de melhorar o cenário com o choque liberal de Paulo Guedes.

        • Periferia Mental

          capitalismo de Estado exatamente = Cuba, Venezuela, Coreia do Norte, URSS, bloco do leste, etc
          economia socialista é uma impossibilidade lógica se pensada nos termos fetichistas do capitalismo
          o choque liberal do Paulo Guedes é simplesmente tirar recursos do social (estado mínimo para o social) e botar na especulação (juros e serviços das dívidas públicas e privadas) estado máximo para a especulação e capitalismo de cassino. nada mais que isso, até pq a economia dita liberal de hoje só vai até aí

  • Teresinha Winter

    Mercado, o ser invisível que comanda tudo, de desgovernos ao cidadão comum, aquele na base da pirâmide social, aquele soterrado por todos os outros.

    • Fábio

      Prefere o Leviatã estatal pelo jeito. Vamos continuar apostando no Estado então, Teresinha. Fazemos isso desde sempre e ficamos ricos, né? Para que seguir o modelo dos países que se desenvolveram? Melhor dobrar a aposta no estatismo.