Sem ataques a Bolsonaro, Teich deixa o governo por não expandir uso da cloroquina

cloroquinacoronavírus Brasilcoronavírus no Brasilcovid-19covid-19. coronavírusenfrentamento ao covid-19HidroxicloroquinaJair BolsonaroMinsitério da SaúdeNelson TeichSistema Único de SaúdeSUS
Comentários (2)
Comentar
  • Edison Sampaio

    Me perdoem, amigos deste valoroso fórum. Eu nem deveria, aliás, emitir qquer palpite sobre coisa alguma, mas como sou um atrevido, ouso dizer que não entendi nadica de nada com relação a essa demissão de Teich. Melhor dizendo, não entendi por qual motivo ele assumiu esse cargo, sendo que pensava igual ao Mandetta. Pensando igual ao outro, e sabendo o que já tinha acontecido, Teich também já sabia que não tinha como enfrentar o Capitão Encrenca. Ou achava que podia peitar o Chefe Supremo? Nos poucos dias como Ministro, não fez coisa nenhuma, mostrando-se, aliás, perdido no meio de um pandemônio. Mandetta, pelo menos, é um político e já lidava no meio podre da política, lamaçal de onde saiu Bolsonaro (e o próprio Mandetta).
    Enfim, Teich jogou a toalha, como já se sabia desde seu primeiro discurso. Entrou perdidão e saiu perdidão. E fracassado, pois se achava que convenceria o Capitão Encrenca de que são os Médicos que entendem de Medicina, enganou-se. Bolso não entende de Medicina, assim como não entende de Economia e nem de coisa nenhuma, mas é o Chefe Supremo, que somente deseja ao seu lado vassalos subservientes, que nunca devem tentar ofuscar seu suposto brilho; que se submetam a ele sem nenhuma contraposição e que, claro, obriguem os Médicos do Brasil a receitarem Cloroquina a torto e a direito aos infectados pelo bicho papão da vez. Para Bolso, a solução para o bicho é a Cloroquina e ponto final.
    Dizem que o Capitão Encrenca colocará na Saúde o General Pazzuelo. Bem, Pazuello foi um oficial de Intendência, mexia com Almoxarifado e não é Médico, mas topa submeter-se ao Capitão Encrenca e tem coragem de impor a Cloroquina. Agora é aguardar a próxima encrenca, que não demorará.

    • Edison Sampaio

      … Outrossim, embora nem tudo sejam flores, é preciso reconhecer que o Governo Bolsonaro já alçava vôo. Ou iniciava corrida na pista rumo a isso, graças ao bom ministério que Bolsonaro constituiu, mesmo com as encrencas causadas diuturnamente por ele. Com um ou outro Ministro ruim, mas os principais muito bons, mormente o da Justiça e Segurança Pública, o da Infraestrutura e o da Economia. É preciso reconhecer isso. Infelizmente veio o bicho da pandemia e a descoordenação. Mas quem tem preparo diante de uma pandemia? Num furacão desses é um aprendizado a cada dia.
      Bem, mas hoje o Planalto fez uma coletiva, um balanço dos 500 dias de governo. Assisti o começo, com o Braga Neto, fui saltando, saltando, até chegar no pronunciamento do Guedes, a partir dos 29:08 do vídeo. Ouvi a fala dele do começo ao fim.
      Compensa ouvir o Guedes. Ouvi-lo é receber uma injeção de ânimo, de fé num futuro melhor. Vale a pena!
      Guedes é mesmo um excelente quadro no governo Bolsonaro. Se o que ele diz é pura enrolação, eu não sei, mas ele inspira conhecimento e boa fé. Deus permita que o Capitão Encrenca o mantenha e o deixe trabalhar.
      Quem desejar assistir, procure no YouTube pelo título: Ministros participam de coletiva de imprensa sobre a Covid-19