Aposentadoria de militares e relatoria devem destravar reforma da Previdência. Veja o que esperar da semana

CâmaraDavi Alcolumbredias toffoliJair BolsonaroLei de LicitaçõesmilitaresOtto Alencarreforma da previdênciaRodrigo MaiaSenadoTasso Jereissati
Comentários (4)
Comentar
  • Frederico Tavares

    O interessante na foto da matéria é ver o chefe do executivo, o presidente da câmara, o presidente do senado e o presidente do STF, todos em indumentária informal, numa mesma foto que sugere um relacionamento bastante íntimo entre os chefes dos 3 poderes. Tal relacionamento íntimo fere o princípio de separação dos poderes, alicerce básico dos Estados modernos. Assim, a teoria afirma a distinção dos três poderes e suas limitações mútuas. Por exemplo, em uma democracia parlamentar, o legislativo limitaria o poder do executivo (Governo): este não está livre para agir à vontade e deve constantemente garantir o apoio do Parlamento, que é a expressão da vontade do povo. Da mesma forma, o poder judiciário permite fazer contrapeso a certas decisões governamentais com o poder que a constituição confere aos magistrados. Portanto, como poderia um poder no país agir como contrapeso do outro quando seus chefes são flagrados em público com roupa informal sugerindo uma relacionamento íntimo e possivelmente em concerto?

  • AO543

    DESDE 1500 os POLITICOS,MILITARES,JUIZES,PROCURADORES sempre querem ser EXCESSÃO em todas as REFORMAS PREVIDENCIARIAS já apresentadas em GOVERNOS ANTERIORES. NESSA HORA NÂO EXISTE PATRIOTISMO ,EXISTE SIM O CORPORATIVISMO SELVAGEM onde os TUBARÕES SEMPRE SAEM VITORIOSOS. E para que o PAÍS comece a ANDAR nos TRILHOS os TRABALHADORES que PAGAM 53 IMPOSTOS POR ANO são os SACRIFICADOS com APOSENTADORIAS REDUZIDAS.Entra GOVERNO e sai GOVERNO a NOVELA é SEMPRE a MESMA.

  • José Pernambuco Monforte de Le

    Bela foto, más faltou o grande gilmar mendes, o pai dos aloprados…

  • paulo1968

    A reforma do Paulo Guedes, investigado pelo MPF por suspeita de fraude milionária em fundos de pensão? Para o povo pagar a conta do suposto “rombo”?