Chanceler planeja visita de Bolsonaro aos EUA para março

Ernesto Araújoestados unidosEUAgoverno BolsonaroJair BolsonaroJohn BoltonMike PompeoRelações Exteriores
Comentários (4)
Comentar
  • Fábio

    Essa aproximação com os EUA, berço das liberdades e potência econômica, é excepcional.
    E imaginem se, como queria o Congresso em Foco, o Jaiminho Andrade tivesse ganhado? A essa altura estaríamos apoiando o ditador Maduro, dentre outras ignomínias.

    • Dila Costa

      Vc conhece algum país no mundo que se deu bem por aproximar dos Estados Unidos, meu caro?

      • Fábio

        Ora, todos que se aproximaram dos EUA se deram bem e experimentaram prosperidade extraordinária, desmentindo todas as previsões da esquerda.
        Exemplos? Pense nos vizinhos dos EUA. O Canadá é uma potência e sua economia é altamente dependente dos EUA. O México, contrariamente ao que afirmaram os esquerdistas (que não entendem nada de economia), tem crescido muito desde o NAFTA.
        Na Ásia, a Coréia do Sul colou nos EUA, enquanto a Coréia do Norte foi se pautar pelas ideias da esquerda. O que ocorreu lá? Outros países aliados dos EUA na Ásia que cresceram muito nas últimas décadas: Vietnã, Singapura e Taiwan.
        Para não falar em toda a Europa com o Plano Marshall.
        É justo o contrário: quem não se aproximou dos EUA se deu mal.

        • Dila Costa

          Canadá é uma monarquia constitucional, sob regência da Rainha da Inglaterra, que mantém laços históricos com Reino Unido, que independente dos Estados Unidos continuaria sendo um país extraordinariamente próspero.
          A julgar pelas sua resposta, e pela sua falta de conhecimento do pq do crescimento econômico de Singapura e Taiwan, creio que vc não entendeu minha pergunta.
          Quanto ao Plano Marshall ele deu certo sim, mas nem por isso Europa colocou nos Estados Unidos.