Colunistas

Egov: uma Escola Cidadã de formação continuada!

Protagonista na capacitação e qualificação dos servidores, empregados públicos e militares distritais, a Escola de Governo do Distrito Federal tem papel estratégico no aperfeiçoamento e na inovação das políticas públicas, diz Granjeiro

A jovem Brasília, recém-construída, crescia e atraía pessoas que vinham de diversas regiões do país em busca de realizarem, aqui, seus mais diversos sonhos, entre eles, as tão almejadas melhores oportunidades profissionais na administração pública. Entretanto, essas pessoas não possuíam preparo técnico para o desempenho das atividades exigidas pela Prefeitura do Distrito Federal (PDF).

Para atender às demandas de qualificação dos primeiros servidores da PDF criou-se o Serviço de Seleção e Aperfeiçoamento (SSA), em março de 1961 – quase um ano após a inauguração de Brasília –, no então governo local de Paulo de Tarso (31/jan/1961–25/set/1961), que havia sido nomeado pelo presidente da República.

Em 1966, devido ao aumento das demandas sociais e intentando-se o desenvolvimento de atividades mais complexas e diferenciadas na capital federal, criou-se o Centro de Seleção e Treinamento (Cest). Quem assinou o decreto dessa criação foi o então prefeito, Plínio dos Reis Cantanhede de Almeida.

Em 1975, coube ao então governador Elmo Serejo de Farias (2/abri/1974–29/mar/1979) fazer a mudança mais significativa na estrutura e autonomia do órgão de recrutamento, seleção, treinamento e desenvolvimento de pessoal, com a alteração da antiga denominação CEST para Instituto de Desenvolvimento de Recursos Humanos (IDR), conferindo-lhe o status de órgão relativamente autônomo vinculado à Secretaria de Administração do Distrito Federal (SEA). A missão do IDR era a formação continuada dos servidores na crença de sua potencialidade de transformação de cada indivíduo, do grupo e das organizações as quais serviam para o bem comum dos usuários dos serviços públicos.

Em 2000, com a nova estrutura da Secretaria de Gestão Administrativa (SGA), nasce a Escola de Governo do Distrito Federal (EGDF), em respeito ao previsto no artigo 39,§ o, da CF/1988. Em 2004, houve nova alteração na SGA, em razão disso se criou a Escola de Gestão Pública – EGEP.

Em 2007 edita-se um novo Plano de Governo e cria-se (ou recria-se) a atual Escola de Governo do Distrito Federal (Egov), subordinada à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag). Em 2015, o governo de Brasília subordina a Egov à Secretaria de Gestão e Desburocratização Administrativa (Segad) e confere-lhe o status de protagonista na capacitação e qualificação dos servidores, empregados públicos e militares distritais.

Atualmente, a Egov conta com uma estrutura revitalizada, num ambiente favorável ao desenvolvimento de cursos, seminários, oficinas, palestras, grupos de trabalhos, atualização dos sistemas de gerenciamentos e controle, atualização da legislação e das boas práticas administrativas –, assumindo uma posição central e estratégica no debate e na geração de ideais para o aperfeiçoamento e inovação das políticas públicas, da geração de receitas extratributárias, do aumento da eficiência e da excelência da máquina pública no atendimento ao cidadão-cliente. Esses são alguns dos papeis e das responsabilidades firmadas pela Egov, compromissos do tamanho da vocação da nossa Capital da Esperança!

Mais sobre o Distrito Federal

Mais sobre gestão pública

Continuar lendo

Sobre o autor

José Wilson Granjeiro

José Wilson Granjeiro

Bacharel em Administração, professor e palestrante, é autor de 20 livros e criou a escola preparatória de concursos Gran Cursos. Mantém o blog www.professorgranjeiro.com.br Facebook: www.facebook.com/professorgranjeiro.

Outros textos de José Wilson Granjeiro.

Curtir Congresso em Foco no Twitter e Facebook:



Publicidade Publicidade