STF autoriza inquérito contra ministro Edinho Silva

Dilvulgação

Edinho Silva foi tesoureiro da Dilma em 2014

O ministro da secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, responderá a inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) por suspeita de participação nos crimes apurados pela chamada Operação Lava Jato. A abertura do processo de investigação foi autorizada pelo relator do caso no STF, ministro Teori Zavascki, informou o Jornal Nacional deste sábado (5).

O Ministério Público Federal pediu para que o ministro petista fosse alvo de investigação com base na delação premiada do dono da UTC, Ricardo Pessoa. O empresário declarou ter recebido de Edinho Silva, então tesoureiro da campanha de Dilma, pedido de repasse financeiro para a campanha da atual presidente.

Pessoa afirmou que doou R$ 7,5 milhões à campanha de Dilma por temer prejuízos em contratos com a Petrobras. A contribuição foi acordada diretamente com Edinho Silva, relatou ele. Conforme as informações oficiais prestadas pelo PT ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a UTC doou R$ 7 milhões para a campanha de Dilma.

Segundo reportagem da revista Veja do final de junho, o ministro teve três encontros com Pessoa em 2014. Segundo a delação de Pessoa, Edinho disse: “Você tem obras na Petrobras e tem aditivos, não pode só contribuir com isso. Tem que contribuir com mais. Eu estou precisando”. O valor combinado previamente era de R$ 10 milhões.  Ainda para a Veja, Pessoa efetuou dois depósitos de R$ 2,5 milhões cada. Um no dia 5 e outro no dia 30 de agosto.

O ministro Edinho Silva afirmou ao Jornal Nacional que é “favorável às investigações de todos os fatos” e que sempre agiu dentro da legalidade.

 

Mais sobre Operação Lava Jato

Mais sobre Dilma Rousseff

Continuar lendo

Publicidade Publicidade