Vídeo: Renan sugere que Temer deve renunciar, mas diz que impeachment agravaria crise

Agência Brasil

Renan Calheiros desconsidera permanência de Temer na presidência

 

Renan Calheiros (PMDB-AL)  defendeu no fim da tarde desta segunda-feira (22) a renúncia do presidente Michel Temer. O senador e líder do PMDB no Senado postou um vídeo em suas redes sociais no qual sequer considera a permanência de Temer à frente da Presidência da República. Ao dizer que a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) cometeu um equívoco ao pedir o impeachment de Temer, Renan afirma que, por ter conduzido o impedimento de Dilma Rousseff, compreende que “o Brasil não aguenta mais” um processo desse tipo.

No vídeo (veja abaixo), Renan diz que o processo de afastamento não traz solução para a crise e pode agravá-la. Ele defende ainda a construção de uma “saída” para garantir eleições em 2018 e uma assembleia nacional constituinte.

“Fora isso, é o imponderável. Tenho absoluta convicção de que o presidente da República compreenderá seu papel e ajudará na construção de uma saída”, pondera.

Assista ao vídeo:

 

Ao jornal O Globo, por meio de sua assessoria, Renan confirmou que defende a renúncia do correligionário e eleições indiretas “de acordo com o que prevê a constituição”. Nos bastidores, ainda segundo a reportagem, o senador alagoano avalia que Temer provavelmente não conseguirá chegar à próxima semana como presidente da República. Interlocutores afirmam que o senador deve se reunir com colegas para avaliar possíveis candidatos numa eleição indireta.

Leia mais:
PSDB dará ultimato a Temer e sugere renúncia do presidente

“Líder de oposição”

Como este site tem mostrado, não é a primeira vez que Renan contesta a gestão Temer. Recentemente, em reunião com centrais sindicais, Renan agiu como verdadeiro líder oposicionista ao discutir como barrar a aprovação das reformas trabalhistaprevidenciária em discussão no Congresso, duas das principais pautas de interesse do governo.

Em outra ocasião, como o Congresso em Foco também mostrou, desta vez em 4 de abril, o peemedebista já havia comparado a gestão Temer à “seleção de Dunga”: “Queremos a seleção do Tite”, disse.

Mais sobre crise brasileira

Continuar lendo

Publicidade Publicidade