Vídeo: Feliciano responde acusação de agressão

O deputado Marco Feliciano (PSC-SP) divulgou neste sábado (5) um vídeo sobre as acusações de assédio sexual, agressão e tentativa de estupro feitas por uma jovem de 22 anos, da juventude de partido. A vítima, Patrícia Lélis, 22 anos, relata que na primeira quinzena de junho esteve no apartamento funcional do deputado, que a agrediu quando ela recusou o convite de ser sua namorada em troca de um cargo em Brasília. Feliciano nega as acusações e  pede: “Não me condenem antes do tempo”.

A história circulou ao longo da última semana, a partir de registros de supostas conversas entre o parlamentar e a vítima pelo Whatsapp. Também foram divulgados vídeos da jovem negando o caso e defendendo o deputado. Posteriormente Patrícia disse à Polícia Civil que estava sendo ameaçada pelo chefe de gabinete do deputado, Talma Bauer, que a obrigou a gravar os vídeos.

O chefe de gabinete de Feliciano foi detido na sexta e liberado após prestar depoimento. Ele nega a acusação de ameaça.

No vídeo divulgado hoje, Feliciano diz que só decidiu falar publicamente sobre o caso após o registro de Boletim de Ocorrência feito pela jovem nesta sexta-feira (5), no 3º Distrito Policial (Campos Elísios), na capital paulista. ”Boataria eu sofro todos os dias, mas a partir de ontem teve um fato novo, que foi um Boletim de Ocorrência. Também resolvi não falar na hora para ter acesso ao boletim e não cometer nenhum tipo de injustiça. Depois que tive acesso ao Boletim de Ocorrência eu quero dizer aqui para vocês que eu tenho plena confiança na justiça divina e na justiça dos homens”, disse o deputado em uma gravação ao lado da esposa, Edileusa.

O parlamentar disse estar à disposição da Justiça “para colaborar com provas que vão provar a minha inocência nesse caso”. Feliciano disse ainda que perdoa a jovem. “Embora eu espere que ela seja responsabilizada pela falsa comunicação do crime, eu perdoo ela”, acrescentou.

Sobre a detenção de seu assessor, Feliciano disse: “Eu só sei que ele não foi preso, ele foi convidado a prestar depoimento e depois do depoimento ele foi solto”. “Com o tempo as provas vão vir e vocês vão ver que tudo isso não passa de uma grande farsa, que tudo isso não passa de um grande engodo”, concluiu o deputado.

Assista ao vídeo divulgado por Feliciano:

 

Mais sobre violência

Continuar lendo

Publicidade Publicidade