Veja a nota da Fifa sobre os gastos da Copa do Mundo

Fifa nega ter pedido isenção de impostos na Copa

 

Veja a nota da Fifa enviada ao Congresso em Foco hoje à noite:

Quanto aos impostos, a FIFA paga tributos no Brasil:

·         No Brasil, subsidiárias da FIFA como o Centro de Ingressos, o Comitê Organizador Local e os nossos prestadores de serviços são tributados nos termos da legislação nacional;

·         A FIFA recolhe impostos sobre cada ingresso vendido;

·         A isenção fiscal concedida pelo Brasil mediante garantias governamentais diz respeito primordialmente à importação de bens (isto é, uniformes para voluntários, frotas de automóveis e ônibus). Tais produtos permanecem no país e são oferecidos pelos parceiros comerciais pelo chamado valor em espécie. Quem também se beneficia de isenções tributárias são as emissoras do mundo inteiro que levarão ao Brasil uma quantidade considerável de equipamentos para garantir que as imagens do torneio brasileiro cheguem aos quatro cantos do planeta;

·         A receita fiscal extra resultante dos investimentos no evento deve chegar a US$ 7,2 bilhões (R$ 16 bilhões) – portanto, muito superior ao real investimento público nos estádios (Fonte: Ernst & Young e Fundação Getulio Vargas)

E a FIFA também paga impostos na Suíça:

·         A FIFA é tributada de acordo com as normas tributárias suíças aplicáveis às associações e no ano passado pagou mais de US$ 17 milhões (R$ 37,7 milhões) em tributos ao país

·         Os contratos da FIFA relativos a direitos de mídia e afiliadas comerciais são sediados na Suíça e, por isso, tributáveis na Suíça. Vale mencionar que a maioria dos contratos foi assinada quando o país-sede de 2014 ainda não estava indicado.

·         A FIFA é uma associação sem fins lucrativos com a obrigação de investir todas as suas receitas no desenvolvimento do futebol e em eventos relacionados ao esporte. Desde 1998, a FIFA investiu quase US$ 2 bilhões (R$ 4,4 bilhões) em projetos de desenvolvimento, e o orçamento geral para essa finalidade no ciclo financeiro 2011-2014 é de US$ 800 milhões (R$ 1,7 bilhão);

·         A FIFA publicou seu mais recente relatório anual em março de 2014 com resultado positivo de US$ 72 milhões (US$ 160 milhões) para o exercício de 2013, com 72% das despesas da FIFA sendo investidas diretamente no futebol no mesmo período;

·         Em 2013, um total de US$ 183 milhões (R$ 406,6 milhões) foram investidos em projetos de desenvolvimento do futebol e de responsabilidade social corporativa, o equivalente a mais de US$ 500 mil (R$ 1,1 milhão) por dia;

·         A FIFA está usando uma renda própria de US$ 3,8 bilhões (R$ 8,4 bilhões) no período de 2011 a 2014 para financiar a organização da Copa do Mundo da FIFA 2014 e outros 29 eventos;

·         Do total de US$ 3,8 bilhões (R$ 8,4 bilhões), mais de US$ 1,5 bilhão está investido na realização do Brasil 2014, enquanto mais da metade dessa última cifra (US$ 850 milhões) (R$ 1,8 bilhão) é investida diretamente na economia brasileira por meio da contratação de serviços locais.

A FIFA e o Comitê Organizador Local apenas monitoram as obras dos estádios da Copa do Mundo da FIFA, não podendo intervir nos processos de planejamento a longo prazo de uma cidade ou estado. Sugerimos que você entre em contato com o Governo Federal e as 12 sedes para mais detalhes sobre este assunto, já que segundo informado pelo Governo Federal e as autoridades locais não há remoções por conta dos estádios.

Fifa nega ter pedido isenção de impostos na Copa

Mais sobre Copa do Mundo

Nosso jornalismo precisa da sua assinatura

Continuar lendo

Publicidade Publicidade