Fuga de presos provoca crise entre governador e Legislativo no Distrito Federal

Rollemberg anunciou novos secretários nesta terça-feira

O governador do Distrito Federal Rodrigo Rollemberg (PSB) anunciou nesta terça-feira (23) a saída do secretário de Justiça e Cidadania, João Carlos Souto, e do subsecretário do Sistema Penitenciário, João Carlos Lóssio. Ambos perderam seus cargos depois da maior fuga da história da Penitenciária I do Distrito Federal (PDF I), no domingo (21), quando dez presos de alta periculosidade escaparam do presídio. A mudança gerou um mal-estar entre o Executivo e o Legislativo porque, segundo os deputados distritais, o governador não consultou a base para tomar a decisão.

O novo secretário de Justiça será Guilherme Rocha de Almeida Abreu, perito criminal e ex-diretor do Instituto de Criminalística da Polícia Civil do Distrito Federal. Já a Subsecretaria do Sistema Penitenciário ficará a cargo do diretor-adjunto da Polícia Civil, Anderson Espíndola. Os dois são indicações do próprio governador.

O deputado Raimundo Ribeiro (PSDB), que havia indicado os dois secretários que agora estão fora do governo, alega que não foi informado pelo governador sobre a troca de comando. No início da tarde, João Carlos Souto, esteve na Câmara Legislativa e conversou rapidamente com o deputado, que não se mostrou nada satisfeito com a atitude de Rollemberg. “Não fui consultado sobre a troca na secretaria. Esta situação nos deixa inseguros quanto às posturas do governo”, afirmou o deputado ao Congresso em Foco.

Ribeiro diz que ainda pretende analisar o que aconteceu, mas não descarta deixar a base governista. Vale ressaltar que o tucano chegou a ser líder do governo na Câmara Legislativa no início do mandato de Rollemberg, mas abandonou o posto depois de divergências com governador. A liderança no momento está a cargo do deputado Julio Cesar (PRB).

Retaliação

Apesar da motivação da troca de comando nas secretarias ter vindo do PDF I, as articulações políticas para 2018 também pesaram na decisão do governador. Ribeiro é um dos parlamentares mais fortes da base do governo, e um dos campeões em número de cargos no Executivo. O PSB, partido de Rollemberg, convidou o tucano para integrar a legenda e fortalecer a defesa do governo na Câmara Legislativa.

As tratativas de Ribeiro com a frente liderada por Cristovam Buarque e Celina Leão, que se filiaram esta semana ao PPS, porém, irritaram o governador. O deputado distrital diz que tem vários convites para trocar de partido, mas ainda não decidiu o seu futuro.

O episódio da fuga deu origem também a um mal-estar nas polícias Civil e Militar. O diretor do presídio, delegado Mauro Cézar Lima, da PCDF, acusou a PM de não manter homens nas guaritas externas do Complexo Penitenciário da Papuda e ainda atacou a própria corporação dizendo que não recebeu apoio na captura dos fugitivos. Rollemberg tentou colocar panos quentes na situação e abriu uma sindicância para apurar o que houve. Mauro Cézar Lima foi candidato a deputado distrital em 2014. Na ocasião, se aproximou do deputado federal Laerte Bessa (PR). Bessa, por sua vez, fez duras críticas ao governador.

O comandante geral da Polícia Militar, coronel Marcos Antônio Nunes de Oliveira, também esteve na Câmara Legislativa, onde falou com os deputados Wasny De Roure (PT), Celina Leão (PPS) e Wellington Luiz (PMDB). Os parlamentares manifestaram apoio à Polícia Militar e prometeram apurar os fatos. O comandante, porém, preferiu não dar declarações.

Mais sobre GDF

Mais sobre segurança pública

Continuar lendo

Publicidade Publicidade