Tragédia com voo da Chapecoense é a maior da história com delegação esportiva

 

Chapecoense disputaria a final da Copa Sul-Americana com o Atlético Nacional de Medellin

 

A polícia de Medellín, na Colômbia, confirmou a morte de 76 passageiros, entre as 81 pessoas a bordo, no acidente aéreo com a delegação da Chapecoense na madrugada desta terça-feira. As informações são do general José Acevedo Ossa, responsável pelo resgate. Pelo número total de vítimas, trata-se da maior tragédia da história com uma delegação esportiva.

Ao menos quatro jogadores da equipe catarinense foram resgatados com vida: o lateral Alan Ruschel, o zagueiro Neto e os goleiros Danilo e Jackson Follman. Também foram confirmados os resgates do radialista Rafael Henzel e da comissária de bordo Ximena Suarez. Danilo, porém, não resistiu aos ferimentos e faleceu. O voo transportava 81 pessoas – nove tripulantes e 72 passageiros. Entre eles, havia 48 integrantes da delegação da Chapecoense, inclusive os 22 jogadores, 21 jornalistas e três convidados. Mário Sérgio e profissionais da Globo e da Fox estão entre as vítimas do acidente da Chapecoense.

 

O time disputaria nesta quarta-feira (30) a primeira partida da final da Copa Sul-Americana, com o Atlético Nacional Medellín. O clube fez história ao se tornar o primeiro de Santa Catarina a chegar a uma final de torneio internacional. O modelo do avião é o Avro Regional Jet 85, também conhecido como Jumbolino, de matrícula CP-2933, da British Aerospace, e tinha 17 anos de funcionamento. Foi utilizado recentemente pela delegação de futebol da Argentina nas eliminatórias da Copa do Mundo.

 

Os números da tragédia com a equipe brasileira superam os registrados em 1949, na Itália, quando o avião, um Fiat G212, que transportava a delegação do Torino de volta à Itália, após um amistoso em Portugal. Na ocasião, 18 jogadores morreram. A equipe era base da seleção italiana. Também supera o que vitimou a seleção de Zâmbia. Ao todo, 18 jogadores da seleção morreram quando o avião em que seguiam para um jogo das Eliminatórias para a Copa de 1994 contra o Senegal, em Dakar, caiu na costa do Gabão. Estes eram considerados os maiores desastres aéreos com delegação esportiva até então.

 

Em nota, o presidente da República, Michel Temer, anunciou que o Itamaraty e a Aeronáutica foram acionados para auxiliar vítimas e familiares do acidente. “Nesta hora triste que a tragédia se abate sobre dezenas de famílias brasileiras, expresso minha solidariedade. Estamos colocando todos os meios para auxiliar familiares e dar toda a assistência possível.  A aeronáutica e o Itamaraty já foram acionados. O governo fará todo o possível para aliviar a dor dos amigos e familiares do esporte e do jornalismo nacional.”

Continuar lendo

Publicidade Publicidade