Temer prepara panfleto a deputados com argumento de que votar Previdência não tira votos

Marcos Correa/Agência Brasil

Em semana decisiva, Temer tenta convencer os parlamentares de todas as formas

 

Em prol da reforma da Previdência, o governo de Michel Temer (PMDB) preparou um panfleto explicativo alertando os deputados que votar a favor da reforma da Previdência não vai influenciar negativamente nas eleições de 2018. A informação, junto com uma foto do panfleto, foi publicada pelo jornal O Globo, nesta terça-feira (5).

A iniciativa mira os deputados que pretendem se reeleger e alegam que não votarão a favor da reforma por medo de comprometer sua imagem junto ao eleitorado nas próximas eleições. “Vote a favor da reforma da Previdência. Foi o certo em 1998. É o Certo a se fazer hoje”, diz o panfleto, que lembra que a reforma da Previdência na época mencionada foi aprovada em período próximo das eleições. O presidente, na ocasião, era o tucano Fernando Henrique Cardoso.

<< Leia a reportagem do O Globo na íntegra

De acordo com informações da jornalista Letícia Fernandes, a peça do governo também ressalta que 69% dos que votaram a favor do substitutivo do Senado à proposta naquele ano conseguiram se reeleger. No caso dos deputados contrários à proposta, apenas 50% se reelegeram.

“Outro dado apresentado no panfleto é em relação à votação, no plenário da Câmara dos Deputados, da idade mínima por tempo de contribuição proposta por FH, também votada em 1998, mas rejeitada por apenas um voto. Segundo o governo, 72% dos deputados que votaram a favor desse ponto conseguiram renovar seus mandatos, enquanto só 50% dos parlamentares contrários se reelegeram deputados”, diz trecho da reportagem.

Ainda sem votos suficientes para aprovação da reforma da Previdência na Câmara, o governo tenta a todo custo aprovar o texto ainda neste ano. A última promessa foi anunciada pelo ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha. De acordo com ele, caso a reforma seja aprovada, serão liberados R$ 3 bilhões para os prefeitos em 2018.

Para aprovar o texto, são necessários 308 votos. O governo conta com a possibilidade de colocar a reforma para votação na próxima semana. Entre outras coisas, a proposta de emenda à Constituição estabelece idade mínima de 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres) para aposentadoria, além de mudar a fórmula de cálculo do benefício.

<< Governo promete liberar R$ 3 bilhões aos municípios, se reforma da Previdência for aprovada

Continuar lendo

Publicidade Publicidade