Suplente de Cristovam afirma que sexo com adolescente era “relacionamento normal”

 

Agência Senado

Garota de 17 anos prestou depoimento à polícia do DF e relatou que Wilmar não pagava pelos encontros sexuais

 

O petista Wilmar Lacerda, que assumirá a cadeira de Cristovam Buarque (PPS-DF) no Senado no início de dezembro, afirmou que as relações sexuais que mantinha com uma adolescente de 17 anos era um “relacionamento normal”. O suplente de Cristovam foi denunciado por uma jovem que afirma ter transado com o petista, que a pagava apenas com lanches. O site Metrópoles revelou o caso na noite de ontem (quinta, 16).

<< Wilmar Lacerda, mais um suplente que chega ao paraíso sem um só voto

A moradora de Planaltina teria sido aliciada por uma mulher conhecida como Rebeca, responsável por agenciar encontros de jovens bonitas da região com homens ricos do Distrito Federal. A ocorrência foi registrada há um mês, em 17 de outubro, na 31ª delegacia de Planaltina.

Em seu depoimento, a jovem afirmou que se encontrou com o político pelo menos cinco vezes e, apesar da promessa de Rebeca de que receberia altos valores, ele sempre se recusou a dar dinheiro à jovem e pagava apenas as refeições que fazia com ela. A garota também contou a polícia que Lacerda se recusou a usar preservativos.

Em nota divulgada, o político afirmou que manteve uma “relação afetiva” com a adolescente no fim do ano passado, quando estava separado da esposa. Disse ainda que “o relacionamento não ocorria às escondidas ou por meio de pagamento de qualquer espécie” e que a relação com a jovem “não foi ilegal”, pois a mãe dela teria conhecimento dos encontros. Os “lanches” a que a garota se referiu em seu depoimento eram “refeições que fazíamos em locais públicos, como restaurantes e shopping”, prossegue o petista.

Para ele, é “estranho” que o registro tenha sido feito meses antes de assumir a cadeira de Cristovam no Senado. Entretanto, a acusação, também revelou o Metrópoles, envolve outros quatro homens. A garota só procurou a polícia após o pai dela descobrir que a menina era explorada sexualmente e obrigá-la a registrar ocorrência. Ela afirmou ainda que ganhava R$ 50 a cada encontro com os outros homens.

Planaltina, uma das Regiões Administrativas do DF e onde a jovem mora, é curral eleitoral de Lacerda. O suplente, que foi citado no escândalo do Mensalão em 2005, foi secretário de Administração Pública (atualmente chamada de Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão) do governo Agnelo Queiroz (2011-2015).

“Acusação gravíssima”

O senador Cristovam Buarque, titular da cadeira que Wilmar Lacerda poderá assumir, afirmou estar surpreso e que espera que o suplente o procure para esclarecer a situação. “É uma acusação gravíssima, gravíssima, gravíssima”, disse.

Ele se esquivou de responder, entretanto, se poderia rever a licença. Ex-governador do DF, Cristovam se afastará do cargo de senador para dar início à sua pré-campanha para as eleições de 2018, quando decidirá se concorre à reeleição ou à Presidência da República.

“Não quero pensar nessa possibilidade agora. Recebi a notícia e foi um baque muito grande”, afirmou Cristovam, que prosseguiu afirmando esperar apurações rigorosas sobre o caso.

 

<< Leia a íntegra da reportagem do Metrópoles

Continuar lendo

Publicidade Publicidade