Renan critica condenação de Moro para Lula: “Na instância seguinte, vamos reparar”

 

Ana Volpe/Agência Senado

De líder governista a opositor, Renan agora faz até defesa de Lula no Senado

 

Agora opositor declarado do governo Michel Temer, o ex-líder do PMDB Renan Calheiros (AL) fez um verdadeiro discurso de defesa ao presidente Lula o plenário do Senado. Condenado a mais de nove anos de prisão pelo juiz Sérgio Moro, Lula foi lembrado por Renan como o presidente que tirou o Brasil do Mapa da Fome, instrumento da Organização das Nações Unidas (ONU) para mensurar indicadores sociais relativos à alimentação das classes mais pobres.

PT diz que condenação de Lula é “ataque à democracia”; adversários do petista elogiam Moro

Juiz Sérgio Moro condena ex-presidente Lula a 9 anos e 6 meses de prisão

“Uma palavra a respeito de algo sobre o qual eu não posso calar. Nunca, nunca, nunca é admissível que se condene sem provas. Muito mais quem tirou o Brasil do Mapa da Fome e foi reconhecido pelos líderes mundiais”, declarou o senador, manifestando otimismo quanto à sentença em segunda instância, responsabilidade do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

“Ainda bem que nós temos a certeza de que, na instância seguinte, nós vamos reparar”, acrescentou Renan.

Alvo de mais de dez processos no Supremo Tribunal Federal (STF) e réu da Operação Lava Jato, Renan se desligou da liderança do PMDB no Senado justamente devido à postura que passou a adotar contra a gestão Temer de uns meses para cá, causando irritação entre os peemedebistas fieis ao governo. Declaradamente contrário às reformas estruturais de Temer, principalmente a trabalhista e a Previdenciária, Renan tem dito que o correligionário governa com um “presidiário de Curitiba”, referência clara ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso por envolvimento no petrolão, e que o presidente não tem mais condições de governabilidade.

Na semana em que resolveu radicalizar contra Temer, em 28 de junho Renan fez mais um duro discurso contra o governo em plenário. “Como mudar o pensamento de um governo comandado por Eduardo Cunha, que, mesmo na prisão, seguia influenciando e – os fatos demonstram – até recebendo dinheiro? Até recebendo dinheiro!”, fustigou Renan, referindo-se à acusação de que Temer atuou para comprar o silêncio de Cunha, segundo denúncia em curso no Supremo Tribunal Federal com base na delação premiada do Grupo JBS.

Veja no vídeo:

 

“Estou me libertando de uma âncora pesada e injusta. Não trairei os trabalhadores e os aposentados, encalçados por uma agenda única, que transfere a carga para os mais pobres porque para isso não fui eleito”, acrescentou o senador, na ocasião em que aproveitou para reforçar os protestos contra as reformas trabalhista e previdenciária, duas das principais apostas de Temer para tentar superar a mais grave crise de sua gestão.

Renan, em novo vídeo sobre Temer: “Mesmo badalado pelo mercado, vai aprofundar o abismo”

Renan deixa liderança do PMDB, critica “postura covarde” de Temer e diz que Cunha governa

Temer governa o país com presidiário de Curitiba, diz Renan em plenário; veja o vídeo

Continuar lendo

Publicidade Publicidade