Por que é seguro votar no Prêmio Congresso em Foco

Ajude a separar o joio do trigo no Congresso: você tem até o sábado (30) para votar no Prêmio Congresso em Foco

Os participantes da votação digital do Prêmio Congresso em Foco 2017 podem ter certeza de uma coisa. Poucas consultas feitas pela internet são tão bem monitoradas quanto esta.

>> Entre aqui para votar

Agora em sua décima edição, o projeto se beneficia da experiência acumulada nos anos anteriores de maneira a assegurar todos os cuidados necessários para garantir a segurança do processo de seleção a cargo do público.

Desta vez, foi adotado o sistema de votação desenvolvido pela mais conceituada empresa de software de pesquisas do mundo, a Survey Monkey,  companhia norte-americana reconhecida mundialmente por sua capacidade de processamento e segurança de dados, e também pela auditoria realizada diariamente em cada um dos votos recebidos.

Votos recebidos pela base de dados da Survey Monkey passam inicialmente pela checagem e filtragem dos seus números de Internet Protocol – o famoso IP, número pelo qual o dispositivo usado pelo usuário é identificado na rede mundial de computadores.

Em seguida, todo o material coletado passa por uma cuidadosa checagem feita por meio de auditoria interna, a cargo da área de tecnologia do Congresso em Foco, e é colocado à disposição dos auditores externos da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF), entidade que reúne os peritos da Polícia Federal.

Também serão premiados no evento marcado para 19 de outubro, em Brasília, os parlamentares escolhidos pelos jornalistas e por um júri.

No primeiro caso, a escolha foi feita por profissionais que acompanham diariamente as atividades do Congresso Nacional. Participaram da consulta profissionais de imprensa vinculados a 45 empresas jornalísticas.

Lúcio Batista

Da esquerda para a direita (em sentido horário): Antônio Augusto de Queiroz, Sylvio Costa, Guilherme Cunha, Lucieni Pereira e Ricardo Caldas

Quanto ao júri, é uma inovação adotada neste ano pela primeira vez. Composto por representantes dos movimentos sociais e das áreas empresarial, acadêmica e sindical, ele tem como integrantes o advogado e consultor empresarial Guilherme Cunha; a auditora de controle externo e ativista de movimentos sociais Lucieni Pereira da Silva; o analista político Antônio Augusto de Queiroz, que acompanha as atividades do Congresso para o movimento sindical; o professor da Universidade de Brasília (UnB) Ricardo Caldas, e o jornalista Sylvio Costa, fundador do Congresso em Foco.

 

A exemplo das edições anteriores, só podem ser votados aqueles congressistas que não respondem a inquérito ou ação penal no Supremo Tribunal Federal ou que exerceram o mandato por pelo menos 60 dias no atual ano legislativo.

>> Acompanhe a última parcial, com votos validados até 20 de setembro

Patrocínio:

 

Apoio:

 

Apoio Institucional:

Continuar lendo

Publicidade Publicidade