PF prende empresário da “farra dos guardanapos” que fornecia comida para escolas e presídios no Rio

Empresário preso participou da festa promovida por Cabral em Paris em que convidados colocaram guardanapo na cabeça

 

Em mais um desdobramento da Operação Lava Jato, agentes da Polícia Federal prenderam, na manhã desta quinta-feira (1°), o empresário Marco Antônio de Luca, acusado de liderar um cartel para fornecer alimentação a escolas públicas, hospitais e presídios nos governos Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão (PMDB).

De acordo com a PF, Luca recebeu pelo menos R$ 12,5 milhões a autoridades públicas. Ele será indiciado por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

A Operação Ratatouille, autorizada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, cumpre diversos mandados de busca e apreensão em vários endereços no Rio.

Com o nome de prato típico da França, a denominação da operação foi inspirada no famoso jantar, em um restaurante luxuoso em Paris, em que Cabral, auxiliares e empresários que tinham negócios com o estado confraternizam com guardanapos na cabeça. O episódio ficou conhecido como a “farra dos guardanapos”.

Luca é ligado às empresas Milano e Masan, duas das principais fornecedoras de alimentos e merenda para o estado do Rio de Janeiro. O empresário foi preso em seu apartamento na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, um dos endereços mais nobres da capital fluminense.

Sérgio Cabral é denunciado por desvios na área da saúde

Continuar lendo