PF prende Andréa Neves; STF vai analisar pedido de prisão de Aécio

Jornalista foi presa em residência de sua família na região metropolitana de Belo Horizonte. Ministros do Supremo vão analisar em plenário pedido de prisão do senador

Andréa é considerada a principal conselheira de Aécio

 

A Polícia Federal prendeu, na manhã desta quinta-feira (18), a jornalista Andréa Neves, irmã do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Ela estava em uma residência da família na região metropolitana de Belo Horizonte. A prisao preventiva dela foi determinada pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). Também há pedido de prisão contra Aécio e o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), todos eles alvos da delação dos empresários Joesley e Wesley Batista, do grupo JBS. No caso dos parlamentares, no entanto, Fachin preferiu ouvir o plenário sobre o assunto. O ministro determinou ainda o afastamento do tucano e do peemedebista de seus respectivos mandatos.

A Polícia Federal cumpre mais de 40 mandados de busca e apreensão no Congresso Nacional, em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro. A nova etapa da Lava Jato foi batizada de atmos, nome da ilha grega onde o apóstolo João escreveu o Livro do Apocalipse.

Os agentes federais apreenderam material nos gabinetes de Aécio, Rocha Loures e do senador Zezé Perrella (PSDB-MG). O principal alvo da operação é Aécio, presidente nacional do PSDB, acusado de receber R$ 2 milhões do empresário Joesley Batista, do grupo JBS.

Agentes federais chegaram no início desta manhã ao apartamento do senador na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, e também nas residências dele no Lago Sul, em Brasília, e em Belo Horizonte.

De acordo com o jornal O Globo, Rocha Loures foi flagrado recebendo R$ 500 mil de Joesley para tratar de assuntos da JBS. Perrella é pai de Gustavo Perrella, apontado como o dono da empresa que recebeu os recursos destinados a Aécio. Um assessor do senador foi identificado como a pessoa que transportou os valores.

Joesley também gravou conversa com o presidente Michel Temer na qual o peemedebista dá aval para que ele continue pagamentos para comprar o silêncio de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ex-deputado cassado que está preso em Curitiba.

STF determina afastamento de Aécio do mandato e prisão da irmã do senador

Continuar lendo
Publicidade Publicidade