Mãe, (o vocativo da eterna criança)

Neste Dia das Mães, o blogueiro Fábio Flora reproduz, com a devida poética, a relação de troca que nos une a elas para sempre

Leoferr/CC/EBC

Fábio Flora e o retrato poético do filho para além do cordão umbilical rompido

Fábio Flora *

Mãe, acorda.
Mãe, desamarrou.
Mãe, não alcanço.
Mãe, empurra.
Mãe, segura. Mãe, me segura.
Mãe, me ajuda.
Mãe, quero mais. Mãe, quero mais não.
Mãe, já escovei.
Mãe, é a sua vez.
Mãe, machucou.
Mãe, dói.
Mãe, aperta.
Mãe, devagar.
Mãe, arde.
Mãe, assopra.
Falei, mãe, falei com as visitas.
Mãe, eu juro, eu prometo, eu não faço mais isso.
Mãe, me escuta. Mãe, tô escutando.
Já, mãe, já tomei o remédio.
Já, mãe, já fechei a janela.
Mãe, estudei.
Mãe, passei.
Mãe, não consegui.
Mãe, dá outra chance.
Mãe, como faz?
Mas, mãe, por quê?
Mãe, fica.
Mãe, me deixa.
Mãe, espera. Mãe, precisa esperar não.
Mãe, ficou bom?
Mãe, menos.
Mãe, o presente.
Mãe, amei.
Mãe, odiei.
Mãe, surpresa!
Mãe, gostou?
Mãe, olha. Mãe, não olha. Mãe, tá todo mundo olhando.
Usei, mãe, usei.
Mãe, não conta nada pro papai.
Mãe, deu certo. Mãe, deu tudo errado.
Mãe, me erra. Mãe, cê tava certa.
Sei, mãe, o casaco. O guarda-chuva. O filtro solar. Os documentos.
Mãe, funcionou.
Mãe, bem que você dizia.
Agradeci, mãe, agradeci.
Mãe, respira.
Mãe, relaxa.
Mãe, confia em mim.
Mãe, esquece. Mãe, esqueci.
Mãe, me lembra.
Mãe, me desculpa.
Mãe, eu sei me virar. Mãe, não sei virar a massa.
Mãe, me ensina.
Mãe, te ajudo.
Mãe, tem cena pós-créditos.
Mãe, só hoje é a terceira montanha-russa.
Mãe, já leu o texto da Martha? Li, mãe, o texto da Martha.
Mãe, desliga. Mãe, se liga.
Mãe, é mais pra esquerda.
Mãe, te ensino.
Mãe, presta atenção.
Mãe, conectou? Então clica, mãe, então clica.
Mãe, vai descansar.
Mãe, eu alcanço.
Mãe, eu empurro.
Mãe, eu seguro.
O remédio, mãe, tomou?
A janela, mãe, fechou?
Mãe, tá uma delícia.
Mãe, tá muito salgado.
Mãe, eu detesto azeitonas. Desde quando? Desde sempre.
Mãe, obrigado.
Mãe, feliz Dia das Mães.
Mãe, cabei.

 

* Cronista residente no Rio de Janeiro, Fábio Flora mantém o blog Pasmatório e perfil no Twitter.

Mais textos de Fábio Flora

Continuar lendo
Publicidade Publicidade