Vaias e protestos na Copa das Confederações

Roberto Stuckert Filho / PR

Presidenta é vaiada por torcedores durante abertura da Copa das Confederações

Nem tudo saiu como esperado na abertura da Copa das Confederações no Brasil. Apesar da vitória do Brasil sobre o Japão, por 3 a 0, o início do evento esportivo foi marcado por manifestações e vaias à presidenta Dilma Rousseff. A Polícia Militar do Distrito Federal não conseguiu segurar o protesto que acontecia do lado de fora do estádio Mané Garrincha, em Brasília, e entrou em confronto com manifestantes. Do lado de dentro da arena esportiva, a presidenta Dilma Rousseff foi vaiada pelos torcedores ao declarar o início do campeonato internacional.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, também foi vaiado. Ele falou antes de Dilma. Durante a vaia, Blatter demonstrou certo nervosismo e pediu à torcida para que “mostrasse respeito e fair play“. Após o pedido, as vaias aumentaram ainda mais. Diante da manifestação da torcida, Dilma foi breve e apenas declarou a abertura oficial da Copa. “Declaro oficialmente aberta a Copa das Confederações 2013″, disse. A torcida só deixou de vaiar quando o Hino Nacional começou a tocar. O fato chegou a ser o mais comentado no Twitter em todo o mundo durante o jogo. As manifestações na rede social se dividiam entre os que apoiavam a atitude dos torcedores e os que a criticavam.

Prisão

Do lado de fora do estádio, mais de 20 manifestantes, sendo 16 adultos e quatro adolescentes, foram presos pela Polícia Militar do Distrito Federal. O protesto que começou na manhã deste sábado (15) seguia pacífico até poucas horas antes do início da partida. No entanto, os manifestantes tentaram se aproximar do estádio e foram contidos pela polícia, que usou bombas de gás lacrimogêneo e disparou balas de borracha para deter o grupo. Segundo a polícia, oito pessoas foram presas.

O grupo protestava contra os bilionários valores investidos na preparação das cidades para os eventos esportivos. Eles também reclamam de outras violações aos direitos dos cidadãos, como a remoção de famílias, a exploração sexual e a falta de dignidade dos trabalhadores da construção civil. Ontem, um grupo também manifestou contra os gastos investidos. Eles queimaram pneus na avenida em frente ao estádio e interromperam o trânsito.

O Estádio Nacional de Brasília é um dos  mais caros dentre os que sediarão jogos das duas competições esportivas. Ele foi completamente reconstruído para os eventos. A arena foi inaugurada em 18 de maio, cinco meses depois da data inicialmente prevista, de 31 de dezembro de 2012.

Os custos também tiveram aumentos acima do previsto. Diversas etapas das obras  foram questionadas pelo Tribunal de Contas do DF. Levantamento Núcleo de Fiscalização de Obras realizado em abril mostrou que o valor total do estádio saltou dos R$ 696,6 milhões iniciais para quase R$ 1,5 bilhão.


Mais sobre as manifestações de rua

Continuar lendo

Publicidade Publicidade