Magno Malta, Ana Amélia e Paulo Paim, os melhores do Senado na votação da internet

Cerca de 100 mil dos mais de um milhão de votos pela internet foram destinados aos três senadores

Com mais do dobro de votos do segundo colocado, o senador Magno Malta (PR-ES) foi o grande vencedor no Senado entre os parlamentares mais bem avaliados na consulta da internet. Magno recebeu 53.989 votos. Dois senadores gaúchos vieram na sequência: Ana Amélia (PP), com 24.349 votos, e Paulo Paim (PT), com 21.863 votos. O resultado da votação, que se estendeu entre 1º e 30 de setembro, foi anunciado na noite desta quinta-feira (19) na festa do Prêmio Congresso em Foco 2017. Os três receberam troféus. Além deles, também foram premiados outros sete senadores que ficaram entre os dez melhores, na avaliação do público da internet.

Ao agradecer a premiação, o senador Magno Malta afirmou que o “único lado que existe na política é o caráter”. O senador citou colegas congressistas de oposição com quem afirmou ter boa relação e, apesar de pensarem totalmente diferente, “a regra da boa convivência é o respeito”. “Para mim, na vida pública, o único lado que existe é o caráter e a dignidade”.

Um dos três filtros desta décima edição do Prêmio Congresso em Foco 2017, a consulta popular na internet para a escolha dos melhores deputados e senadores do ano teve 1.034.683 votos validados, distribuídos por 130.113 pessoas. Os participantes da votação digital podem ter certeza de uma coisa: poucas consultas feitas pela internet são tão bem monitoradas quanto esta.

Veja a votação da internet, por ordem decrescente:

1º  Magno Malta (PR-ES) – 53.989 votos

2º  Ana Amélia (PP-RS) – 24.349

3º  Paulo Paim (PT-RS) – 21.863

4º  Alvaro Dias (Podemos-PR) – 20.120

5º  Randolfe Rodrigues (Rede-AP) – 19.321

6º  Fátima Bezerra (PT-RN) – 14.923

7º  Regina Sousa (PT-PI) – 10.828

8º  Cristovam Buarque (PPS-DF) – 9.648

9º  Roberto Requião (PMDB-PR) – 9.638

10º  Reguffe (Sem partido-DF) – 5.765

Os três mais votados

Pastor evangélico, 60 anos, Magno Malta começou a trajetória política como vereador em Cachoeiro Itapemirim (ES), em 1993. Elegeu-se deputado estadual no ano seguinte. Em 1998 assumiu como deputado federal. Após se destacar como presidente da CPI do Narcotráfico, conquistou mandato para o Senado em 2002. Entre suas principais bandeiras estão o combate às drogas e à pedofilia e a defesa da família tradicional. Preside a CPI dos Maus-tratos contra Crianças e Adolescentes.

Jornalista especializada em economia, Ana Amélia ficou conhecida por seu trabalho no grupo RBS, onde atuou por três décadas, entre Brasília e Porto Alegre. Chegou ao Senado em 2010, em sua primeira disputa eleitoral. Uma das lideranças da Frente Parlamentar Agropecuária, atua na defesa do agronegócio e da livre iniciativa. Também tem projetos na área da educação e da saúde. Aos 72 anos, preside a Fundação Milton Campos, instituição de formação política do PP.

Metalúrgico e sindicalista, Paulo Paim foi um dos fundadores da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Filiado ao PT desde 1985, foi eleito deputado constituinte no ano seguinte. Aos 67 anos, é autor dos estatutos do Idoso, da Igualdade Racial e da Pessoa com Deficiência e do projeto de lei que elimina o fator previdenciário. No Senado desde 2003, tem atuação voltada para as questões raciais, trabalhistas, previdenciárias e do funcionalismo público. O petista foi premiado pelo nono ano.

Segurança do sistema

Na consulta popular deste ano foi adotado o sistema de votação desenvolvido pela mais conceituada empresa de software de pesquisas do mundo, a Survey Monkey, companhia norte-americana reconhecida mundialmente por sua capacidade de processamento e segurança de dados, e também pela auditoria realizada diariamente em cada um dos votos recebidos.

Esses votos passam inicialmente pela checagem e filtragem dos seus números de Internet Protocol – o famoso IP, número pelo qual o dispositivo usado pelo usuário é identificado na rede mundial de computadores.

Em seguida, todo o material coletado foi submetido a uma cuidadosa checagem feita por meio de auditoria interna, a cargo da área de tecnologia do Congresso em Foco, e colocada à disposição dos auditores externos da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF), entidade que reúne os peritos da Polícia Federal.

A votação na internet não é a única filtragem para a escolha dos parlamentares que mais se destacam no exercício da atividade parlamentar em 2017. As outras duas listas de premiados sairão da tradicional consulta entre os jornalistas que cobrem o Congresso (73 de 45 veículos participaram nesta edição) e, de maneira inédita, do julgamento de um júri qualificado.

O Prêmio Congresso em Foco teve o patrocínio e apoio da AmbevAnabbGoverno de Mato GrossoUberAPCFAnffa SindicalSinprofazAnfipAnadefAMBCiclo de GestãoFebrafiteAbrigOAB-DFSindicato dos Jornalistas

<< Por que é seguro votar no Prêmio Congresso em Foco

<< Outras informações sobre o prêmio

 

Patrocínio:


Apoio:

 

Apoio Institucional:

Continuar lendo

Publicidade Publicidade