Jornais: Governo e oposição fecham acordo que esvazia CPI

FOLHA DE S. PAULO

Governo e oposição fecham acordo que esvazia CPI

Governo e oposição fizeram ontem um acordo para não investigar governadores, o comando nacional da empreiteira Delta e parlamentares na CPI do Cachoeira.

O pacto tem como objetivo restringir o foco da comissão a personagens secundários do grupo do empresário Carlinhos Cachoeira.

O acordo, que deve esvaziar politicamente a CPI, surgiu após PT e PMDB ameaçarem aprovar na sessão de hoje da comissão um requerimento de quebra do sigilo telefônico do governador Marconi Perillo (PSDB-GO), suspeito de ter vendido casa ao empresário -ele nega.

Mas o líder tucano no Senado, Alvaro Dias (PR), mandou avisar ao relator Odair Cunha (PT-MG) que retaliaria, apresentando requerimento de igual teor contra os governadores Agnelo Queiroz (PT-DF) -também suspeitos de envolvimento com o grupo de Cachoeira- e Sérgio Cabral (PMDB-RJ), que aparece em fotos e vídeos confraternizando com o empresário Fernando Cavendish, dono da Delta.

“Se houver deliberação a respeito do Perillo, vamos dar o troco”, disse Dias.

Diante da ameaça, petistas e peemedebistas recuaram e decidiram focar os trabalhos nos auxiliares diretos de Cachoeira, já fartamente investigados pela Polícia Federal.

Com o acordo, o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) foi convencido a retirar o seu requerimento que pedia a quebra do sigilo do governador de Goiás da pauta da reunião de hoje. “Para não parecer uma proteção aos demais governadores, vou pedir para que o meu não seja votado.”

Também vão para o arquivo os pedidos de quebra de sigilo das contas da Delta em todo o país e de Cavendish.

Agora, só será pedida a abertura dos dados da Delta no Centro-Oeste, base das operações de Cachoeira.

Governo Cabral dá verba a empresa de irmão de secretário

Uma empresa administrada pelo irmão do secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Sérgio Côrtes, obteve R$ 5 milhões de financiamento do governo do Estado.

O dinheiro para a DFV Comercial e Industrial Ltda foi liberado antes de a empresa possuir a licença completa para funcionar.

A verba saiu em 2 de dezembro de 2010, sendo que as autorizações de funcionamento foram concedidas pelas secretarias de Ambiente e da Saúde apenas em junho e dezembro de 2011, respectivamente.

A apresentação de toda a documentação é uma das exigências para que empresas ganhem o incentivo público no Rio, segundo informação passada no início da semana por Maurício Chacur, presidente do Investe Rio, programa de crédito do governo.

Acidente no metrô de SP fere 49

No pior acidente com trens da história do metrô paulistano, uma composição cheia bateu em outra, vazia, entre as estações Penha e Carrão, deixando ao menos 49 feridos — nenhum em estado grave. Outras 57 buscaram atendimento em unidades de saúde.O choque ocorreu às 9h50, na linha 3-vermelha, a mais movimentada.

Comissão da Verdade não deve ter ódio nem perdão, afirma Dilma

Ao dar posse à Comissão da Verdade, que investigará violações a direitos humanos entre 1946 e 1988, Dilma disse que o grupo não pode ter “revanchismo”, “ódio” e tampouco “perdão”. Torturada na ditadura, ela chorou ao falar de desaparecidos, mas não tratou da abrangência da apuração.

Ela disse que a comissão não será “de governo, mas de Estado”, e fez inédita reunião dos ex-presidentes Sarney, Collor, FHC e Lula.

União recebe 700 pedidos de informações

No primeiro dia de vigência da Lei de Acesso à Informação, a CGU (Controladoria-Geral da União) informou que o sistema eletrônico online criado pelo governo para concentrar os pedidos de cidadãos recebeu 708 solicitações até as 18h.

O órgão mais acionado foi o Banco Central, com 49 requerimentos. O Ministério do Planejamento recebeu 37.

O Congresso, o Supremo e o Superior Tribunal de Justiça, o TCU (Tribunal de Contas da União) e a Procuradoria-Geral da República disponibilizaram formulários próprios para receber demandas nas suas páginas na internet.

Pela nova lei, todo cidadão pode requisitar ao Estado, ao Judiciário, ao Ministério Público e ao Legislativo da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos municípios informações sem precisar explicar o motivo.

BC divulgará votos de diretores que definem os Juros

No dia em que entrou em vigor a Lei de Acesso à Informação, o Banco Central disse que divulgará, a partir da próxima reunião do Copom, os votos dos diretores para a trajetória da taxa de juros.

Ontem, a Controladoria-Geral da União informou que o sistema on-line criado para concentrar os pedidos de dados de cidadãos recebeu 708 solicitações. O órgão mais acionado foi o BC, com 49 pedidos.

Comissão de juristas pede imunidade para jornalistas

A comissão de juristas criada pelo Senado para atualizar o Código Penal aprovou uma imunidade para os jornalistas não serem punidos ao fazer críticas: o jornalista poderá emitir “opinião desfavorável” sem ser condenado por injúria ou difamação.

A proposta coloca a imprensa junto a críticos literários, de arte e ciência, que já têm essa mesma imunidade.

No debate na comissão, ocorrido em março, chegou-se a levantar que a proposta poderia ser uma carta branca para ataques pessoais. Mas o texto acabou aprovado por acordo, após a ressalva de que poderá haver crime “quando inequívoca a intenção de injuriar ou difamar”.

Câmara de SP aprova cessão de terreno ao Instituto Lula

A Câmara Municipal de São Paulo aprovou ontem o projeto do prefeito Gilberto Kassab (PSD) que cede ao Instituto Lula um terreno na região central avaliado em cerca de R$ 20 milhões.

A área de 4,3 mil m² fica na atual cracolândia e deve receber o Memorial da Democracia, museu que exibirá o acervo acumulado pelo petista na Presidência.

Após reduzirem os juros, bancos aumentam tarifas

Os bancos privados subiram algumas das tarifas dos serviços mais usados pelos consumidores após anunciarem reduções dos juros. De 2 de abril a 14 deste mês, a tarifa cobrada para saques de conta-corrente e poupança aumentou, em média, 11,9%, segundo levantamento com base em dados do Banco Central. Os extratos mensais tiveram alta de 14,2%.

Clóvis Rossi: Plebiscito na Grécia evitaria 6 meses de sangue

 

O GLOBO

 

Dilma: a busca da verdade agora é decisão de Estado

Numa cerimônia histórica, ao lado de quatro de seus antecessores, a presidente Dilma Rousseff, ex-guerrilheira presa na ditadura militar, instalou ontem a Comissão da Verdade, criada para apurar violações de direitos humanos de 1946 a 1988. Sem conter as lágrimas, Dilma destacou que a iniciativa é um esforço de Estado para revelar a História recente do país, sem revanchismo. “A palavra verdade é o contrário da palavra esquecimento. Não abriga ressentimento, ódio nem perdão”, afirmou. Diante dos ex-presidentes José Sarney, Fernando Collor, Fernando Henrique e Lula, Dilma destacou o papel de cada um deles para que o Brasil instalasse a comissão, citando também Tancredo Neves e Itamar Franco. Chorou ao lembrar os que morreram na luta contra a ditadura, disse que as famílias de mortos e desaparecidos merecem conhecer a verdade, e, num recado aos militares que resistiram à comissão, disse que a ignorância sobre a História não pacifica, mas, ao contrário, mantém mágoas: “O Brasil merece a verdade.” Na primeira reunião, a comissão não definiu se apurará também ações da esquerda.

O Choro: “Se existem filhos sem pais, nunca pode existir uma História sem voz”
“Assim como respeito e reverencio os que lutaram pela democracia (…), também reconheço e valorizo pactos políticos que nos levaram à redemocratização”
“A ignorância sobre a História não pacifica, pelo contrário, mantém latentes mágoas e rancores”
Dilma Rousseff, presidente

BC passa a abrir votos do Copom sobre juros

A partir da próxima reunião do Copom, no fim do mês, a opinião de cada diretor do Banco Central sobre a taxa básica de juros será divulgada. Mas os votos de encontros anteriores não serão abertos, O BC foi o órgão do governo federal que recebeu ontem o maior número de pedidos de informações, 49, no primeiro dia de vigência da Lei de Acesso. Ao todo, foram registradas 708 solicitações até as 18h.

‘Transparência inibe mau uso do dinheiro público’

Ao instalar a Comissão da Verdade, Dilma disse que a Lei de Acesso à Informação coíbe corrupção e abusos. “A transparência funciona como inibidor do mau uso do dinheiro público e de violações de direitos”, afirmou ela, destacando que será proibido classificar como secretos atos de violação dos direitos humanos. Mas há atraso para aderir à lei. O STF levará mais dois meses para regulamentar o acesso a dados.

No Rio, funcionalismo ignora a Lei de Acesso

Quem procurou informações em órgãos públicos no Rio com base na Lei de Acesso esbarrou na falta de regulamentação e no despreparo. Na Alerj, uma funcionária perguntou: “Que lei é essa?” No Ministério Público Federal, um atendente afirmou que era perda de tempo. Nas páginas do governo do estado, do Tribunal de Contas, do Tribunal de Justiça e do Ministério Público, falta até o ícone do serviço de informação.

IR de bicheiro aponta sócio na Coreia do Norte

A declaração de Imposto de Renda Pessoa Física de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, apresenta uma informação que surpreendeu os parlamentares. Que o contraventor era sócio da Bet Capital, com 49%, todos sabiam. O que chamou a atenção dos senadores é que a outra parte da sociedade, em nome da Bet Corporation, estaria sediada na Coreia do Norte, um dos países mais fechados do mundo, onde não há empresa privada, pois é um estado comunista. As informações levantam suspeitas de lavagem de dinheiro em empresa de fachada.

De acordo com o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), Cachoeira recebeu vultosos recursos da Bet Capital. Em 2008, foram R$ 2,8 milhões; em 2009, R$ 4,3 milhões, mesmo valor repetido em 2010. No entanto, como afirmou o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), os rendimentos tributáveis do contraventor eram espartanos.

Ideli antecipa depoimento na Câmara

A ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) antecipou ontem seu depoimento, na Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara, onde explicaria aos deputados, só no dia 23, a polêmica envolvendo a compra pelo Ministério da Pesca de 28 lanchas produzidas pela empresa Intech Boating, que doou R$ 150 mil ao PT de Santa Catarina. Munida e respaldada pelo parecer favorável da Comissão de Ética Pública da Presidência – que determinou o arquivamento de denúncia contra ela -, Ideli negou conhecer ou ter relação pessoal com os donos da Intech.

- Não tenho relação nenhuma, nem pessoal, nem de conhecimento. Não sei o nome de cor, não faz parte das minhas relações – disse Ideli, admitindo, no entanto, que esteve com o dono da empresa, José Antonio Galízio Neto, na entrega de uma das lanchas, em Florianópolis.

Petrobras já perdeu um BB este ano

Pressionada pela defasagem de preço na gasolina e pela crise europeia, a Petrobras viu evaporar US$ 31,6 bilhões em seu valor de mercado este ano. A perda, que equivale a um Banco do Brasil, fez com que a colombiana Ecopetrol tomasse da estatal brasileira o posto de empresa mais valiosa da América Latina, segundo ranking da Economatica. Na Vale, Murilo Ferreira enfrenta desafios após um ano na presidência da mineradora.

Ancelmo Gois

A IBM vai construir uma fábrica de semicondutores em Minas em sociedade com Eike e BNDES.

Rio+20: hotéis devolverão até 60% da tarifa

Um acordo entre o governo federal e hotéis vai reduzir de 25% a 60% o preço da hospedagem durante a Rio+20. Os valores pagos a mais serão devolvidos. Para evitar tumultos no Galeão, o governo federal vai elaborar um plano com reforço de pessoal, restrição de voos e instalação de radares.

No Rio, metade sai ou repete a 1ª série do ensino médio

 

O ESTADO DE S. PAULO

 

Comissão da Verdade não será revanchista, diz Dilma

A presidente Dilma Rousseff instalou ontem, oficialmente, a Comissão da Verdade, que vai investigar violações dos direitos humanos cometidas sobretudo pelo regime militar. Ex-presa política, Dilma chorou ao discursar. Disse que a comissão não será movida por revanchismo, evitando “confrontos inúteis”, e que respeitará os “pactos políticos que nos levaram à redemocratização”, em referência à Lei de Anistia. No entanto, a presidente enfatizou que “o direito à verdade é tão sagrado quanto o direito que muitas famílias têm de prantear e sepultar seus entes queridos, vitimados pela violência praticada pela ação do Estado ou por sua omissão”. Presentes, os comandantes militares se mostraram constrangidos. Seus aplausos foram tímidos e, ao final, eles evitaram declarações à imprensa.

Colisão inédita no Metrô fere 49

Pela primeira vez em 38 anos de operação, dois trens da Linha 3-Vermelha do Metrô de São Paulo bateram, deixando ao menos 49 feridos, na manhã de ontem. Houve pânico entre os passageiros. “O pessoal começou a quebrar a janela e se desesperar, faltava ar lá dentro”, relatou Cristiane Campos, de 45 anos. O maquinista cuja composição bateu na outra apontou falha mecânica. Segundo a polícia, ele evitou uma tragédia ao interferir no sistema, que é automático, para acionar o freio. O governo disse que o acidente está sendo investigado. Problemas na rede metroviária e ferroviária têm sido constantes nos últimos tempos e devem se tornar tema eleitoral.

Inadimplência do consumidor cresce 4,8%

A inadimplência do consumidor aumentou 4,8% em abril ante março, puxada por dívidas não pagas de cartões de crédito, financeiras e outros compromissos, de acordo com a Serasa Experian. Foi a maior variação mensal para abril desde 2002. A pesquisa mostra, porém, que a renegociação de dívidas cresce com a queda dos juros. (Págs. 1 e Economia B1 e B3)

Ex-diretor ignorou falhas em shoppings

Alertado pelos órgãos jurídicos da Prefeitura sobre irregularidades nos shoppings Pátio Higienópolis e Capital, o então diretor do órgão que emite licenças para imóveis Hussain Aref Saab protegeu os empreendimentos contra fiscalizações e sanções. Os dois centros comerciais permanecem abertos, apesar dos pareceres contrários.

Estudante é condenada por racismo no Twitter

Ministério Público vai investigar venda da Delta

 

CORREIO BRAZILIENSE

 

Partidos querem votar logo o fim do 14° e do 15°

Apesar de o presidente da Casa, Marco Maia (PT-RS), resistir à iniciativa — “Nem me pergunte sobre isso” —, o movimento ganha força. O partido dele, o PT, não aderiu. Mas PMDB, PSDB, PSol, PSD, PDT, DEM, PPS, PR, PTdoB, PRP, PHS, PTC, PSL e PRTB já assinaram o requerimento pela votação, em regime de urgência, da proposta que extingue o 14° e o 15º salários. O fim do privilégio foi aprovado por unanimidade no Senado. Na CPI do Cachoeira, cresce a suspeita sobre empréstimos milionários que o contraventor recebeu da Coreia do Norte. Deputados e senadores desconfiam que se trata de lavagem de dinheiro enviado ao exterior pela quadrilha do bicheiro.

Lavagem de dinheiro na Coreia

A análise dos 41 volumes de documentos relativos à declaração de Imposto de Renda dos últimos 10 anos do bicheiro Carlinhos Cachoeira, encaminhados pela Receita Federal à CPI, indica que o contraventor tinha uma espécie de “lavanderia” internacional do dinheiro sujo obtido no Brasil. Nas declarações de IR dos exercícios referentes aos anos de 2008, 2009 e 2010, o bicheiro informa que recebeu da empresa BET Capital R$ 11,4 milhões a título de empréstimos. A suspeita é de que os recursos da organização criminosa eram encaminhados para a empresa BET Company, estranhamente com sede na comunista Coreia do Norte, na Ásia, e acionária majoritária da BET Capital.

Carlinhos Cachoeira teria 49% das ações e a BET Company outros 51%. O esquema que começa a ser desvendado aponta que o dinheiro sairia do Brasil e voltava para a BET Capital, que emprestava milhões ao contraventor. Cachoeira declarou ter recebido da empresa R$ 2,8 milhões em 2008; R$ 4,3 milhões em 2009; e novamente R$ 4,3 milhões em 2010. Existem também empréstimos com cifras milionárias no nome da ex-mulher e de um ex-cunhado.

Pedido de gravações e depoimentos à CPI

O deputado Amauri Teixeira (PT-BA), escolhido para ser o relator do caso de Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) no Conselho de Ética da Câmara, vai pedir à CPI do Cachoeira as gravações e os depoimentos em que exista alguma referência ao parlamentar. Protógenes é alvo de um processo por quebra de decoro parlamentar. O deputado paulista aparece em conversas interceptadas pela Polícia Federal com o araponga Idalberto Matias Araújo, o Dadá, integrante do esquema do bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Teixeira foi escolhido relator pelo presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo (PSD-BA), que analisou outros dois nomes sorteados na última reunião do grupo. “O deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) acabou descartado porque já está muito atribulado com a CPI. E o Jorge Corte Real (PTB-PE) pediu para não ficar com o caso por ser novo no conselho”, explicou Araújo. O presidente nega que tenha havido qualquer pressão para a escolha do nome. “Eu não costumo ouvir partidos nesse assunto, só levo em consideração o fato de os indicados terem alguma relação com o acusado.”

Hora da verdade

A presença dos ex-presidentes vivos do Brasil (Collor, Sarney, Lula e FHC) e um discurso emocionado de Dilma marcaram a instalação da Comissão da Verdade. Apesar do tom incisivo em defesa da apuração dos crimes cometidos durante a ditadura, Dilma afirmou que o trabalho de investigação não será revanchista.

A caixa-preta do Congresso

No primeiro dia de estreia da Lei de Acesso à Informação, ontem, o Senado e a Câmara dos Deputados — Casas em que a legislação tramitou durante anos e só foi aprovada por pressão do governo — afirmaram que não pretendem informar o salário de seus servidores, descumprindo o novo texto, que estabelece como público esse tipo de dado. Ao contrário da Controladoria-Geral da União (CGU), que ressaltou justamente essa informação como exemplo que deve ganhar publicidade, o Congresso se fechou sobre o tema.

“Informações consideradas pessoais, ou seja, aquelas relativas à intimidade, à vida privada, à honra e à imagem de um indivíduo, não podem ser divulgadas. Ou seja, o salário de um servidor específico não pode ser divulgado nem na internet nem a pedido de um cidadão”, alegou a Câmara em nota enviada ao Correio. O Senado usou o mesmo argumento. As justificativas contrariam não só a nova lei, como também a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o tema. Em julho de 2009, o então presidente da Corte, ministro Gilmar Mendes, liberou a publicação na internet da remuneração mensal dos 162 mil servidores da Prefeitura de São Paulo.

Crise internacional: Dólar alto já afeta viagem de brasileiros

Os turistas que sonhavam fazer compras no exterior estão replanejando seus gastos. Com a moeda dos EUA a R$ 2, os custos subiram consideravelmente. E a previsão é de que continuem em ascensão, já que impasse na Grécia mantém instabilidade na economia global.

Brasília lidera o uso da internet

DF, 2º em reprovação no ensino médio

 

VALOR ECONÔMICO

 

Crise tende a retardar recuperação para 2013

O agravamento da crise na zona do euro, com risco de colapso no sistema bancário da Grécia, e a desaceleração na China devem prejudicar a retomada do crescimento no segundo semestre. O desempenho da economia no primeiro trimestre foi muito pior que o esperado e indicadores antecedentes sinalizam que não houve reação em abril nem está havendo em maio. A frustração da arrecadação federal — a diferença entre o valor projetado pela Receita e o efetivamente obtido — ficou entre R$ 10 bilhões e R$ 12 bilhões no primeiro quadrimestre do ano, segundo fontes do governo.

A recuperação, mesmo com a acentuada queda dos juros è os estímulos fiscais, está mais atrasada do que esperava a equipe econômica. O mercado prevê um avanço do PIB de 2,7% e mesmo o otimista ministro da Fazenda, Guido Mantega, torce para que chegue pelo menos a 3%.

Bancos gregos perdem crédito e depósitos

O Banco Central Europeu interrompeu operações de liquidez com alguns bancos da Grécia até que eles sejam recapitalizados, em um momento em que os saques se aceleraram a ponto de poder causar um colapso no sistema financeiro do país.

As estimativas são de que a fuga de depósitos tenha superado os € 5 bilhões desde o dia 6. Sô na segunda e terça-feira passou de € 1,2 bilhão, ou 0,75% dos depósitos totais. Desde janeiro de 2010, € 75 bilhões saíram dos bancos do país e o ritmo tende a crescer. Se as retiradas persistirem, as autoridades da zona do euro terão de acelerar as decisões sobre a permanência da Grécia no bloco, sem esperar a nova eleição, marcada para 17 de junho.

Continuidade histórica

A presidente Dilma Rousseff reuniu ontem no Palácio do Planalto seus quatro antecessores no cargo para a instalação oficial da Comissão da Verdade e lembrou que houve uma continuidade histórica em suas ações, na direção de esclarecer e tornar públicas as ações da ditadura militar. (Págs. 1 e A14)

Stefanini já chega a 29 países

A empresa de serviços de tecnologia da informação Stefanini avança em seu projeto de internacionalização, iniciado em 1996 com a compra da Top Systems, companhia uruguaia de capital fechado que desenvolve sistemas para o setor financeiro, como softwares de prevenção à lavagem de dinheiro.

Ao lado da Totvs e da livit, a Stefanini é um dos poucos exemplos de empresas brasileiras de TI que conseguiram atingir um porte capaz de fazer frente às multinacionais do setor. Atualmente, a companhia possui cerca de 14 mil funcionários distribuídos em 71 escritórios. Por meio da aquisição da Top Systems, a Stefanini amplia sua atuação direta a 29 países. Com o acordo, ela passa a deter 55% de participação na companhia uruguaia. (Págs. 1 e B3)

Três anos depois, BRF dobra de valor

Os fundos de pensão que formavam o bloco com maior participação acionária na Perdigão aproveitam os bons ventos da BRF-Brasil Foods (a empresa resultante da união com a Sadia) no mercado para vender parte das suas ações. Hoje, eles detêm 26,55% do negócio. Em 2011, foi a primeira vez que a fatia das fundações ficou abaixo de 28% do capital da nova companhia.

Três anos após o anúncio da fusão, a BRF vale hoje o dobro do que valiam as duas empresas, somadas, antes da união. O valor de mercado do negócio está próximo a R$ 30 bilhões — o dobro dos R$ 15 bilhões marcados ao fim do primeiro pregão após a Perdigão incorporar as ações de controle da Sadia, em julho de 2009. (Págs. 1 e B14)

Espanha começa a retaliar a Argentina por expropriação

O agronegócio da soja argentina deve começar a pagar na próxima semana o preço pela expropriação da petroleira YPF, que era controlada pela espanhola Repsol até 16 de abril. No dia 21, vence o prazo dado pelo governo do primeiro- ministro espanhol Mariano Rajoy para quê os produtores de biocombustíveis de seu país e do resto da União Européia se inscrevam para fornecer ao menos 2 milhões de toneladas de biodiesel ao ano. Caso a capacidade produtiva dos interessados atinja essa meta, dentro de seis meses deverão estar extintas as exportações de biodiesel da Argentina para a Espanha, que renderam US$ 1,1 bilhão no ano passado. O total representa 51,6% de toda a receita argentina obtida com a venda do produto.

A medida de Rajoy, uma clara retaliação à expropriação, era esperada em Buenos Aires. Desde 2009 os produtores espanhóis de biocombustível tentam bloquear o fluxo e, pouco antes da expropriação, a Associação de Produtores de Energia Renovável divulgou balanço apontando que as 50 indústrias locais operam com capacidade ociosa de 86%. Do 1,6 milhão de toneladas de biodiesel consumidas pelo país, 1,2 milhão tiveram origem no exterior em 2011.

País negocia exportação de blindado

Batizado de Guarani, o novo veículo blindado brasileiro ainda não é produzido em larga escala, mas já pode ter sua primeira venda internacional confirmada nas próximas semanas. O Ministério da Defesa negocia um lote de 14 unidades para o exército argentino. Resultado de parceria entre o Centro de Tecnologia do Exército e a montadora italiana Iveco, o Guarani será produzido em uma linha de montagem da companhia na fábrica em Sete Lagoas (MG). Com capacidade para transportar até 11 soldados, o veículo anfíbio de 18 toneladas vai substituir os modelos Urutu e Cascavel.

Desoneração elétrica

O governo acerta os últimos detalhes de um pacote para desonerar o setor elétrico. As medidas incluem a redução de encargos setoriais como a Reserva Global de Reversão (RGR) e tributos como PIS e Cofins.

Marriott expande rede no Brasil

Uma das maiores redes de hotelaria do mundo, com 3,8 mil empreendimentos em 73 países, a americana Marriott pretende abrir 50 hotéis no Brasil em dez anos. O investimento, junto com parceiros locais, pode chegar a US$ 500 milhões.

Enxugamento da Gol

Até o fim do mês, a Gol vai demitir mais 500 funcionários, como parte do plano de readequação da empresa iniciado em janeiro. Com o novo corte, as demissões chegarão a 1,2 mil pessoas até o fim do semestre.

Energia do hidrogênio

A AES Tietê vai gerar energia a partir do hidrogênio em um projeto inédito no país, desenvolvido em parceria com a Universidade Estadual de Campinas e os Institutos Aqua Genesis e Hytron. A ideia é ofertar a energia nos horários de pico.

Pé na estrada

O volume de tráfego voltou a crescer nas rodovias brasileiras, conforme os resultados das três principais concessionárias do setor—CCR, OHL e EcoRodovias —, interrompendo a desaceleração registrada desde o primeiro trimestre de 2011.

Wilson, Sons amplia portfólio

A Wilson, Sons vai entrar na construção de embarcações de maior porte para apoio à indústria do petróleo. A primeira unidade, contratada por um armador holandês, começa a ser fabricada no fim do ano, no estaleiro do Guarujá (SP).

Mapfre entra em saúde e consórcio

A Mapfre vai entrar nos segmentos de planos de saúde e administração de consórcios. É o primeiro grande movimento da seguradora desde a parceria com o BB nos ramos de vida, rural e patrimonial, em julho do ano passado.

Olha a onça!

O empresário e ambientalista Roberto Klabin prepara uma nova experiência para os hóspedes de seu Refugio Ecológico Caiman, no Pantanal. Em parceria com o Instituto Chico Mendes, desenvolve o primeiro safári fotográfico de onças do país. A atividade entra em ritmo comercial em dois anos.

“Refis” libera dividendos

Superior Tribunal de Justiça rejeita pedido da Fazenda Nacional para impedir a distribuição de lucros e dividendos por empresa inscrita em programa de parcelamento de débitos tributários.

Continuar lendo

Publicidade Publicidade