João Paulo Cunha (PT-SP)

Um dos réus do mensalão (Ação Penal 470), o ex-presidente da Câmara é acusado de usar o cargo para beneficiar agência de publicidade do empresário Marcos Valério em processo licitatório. O contrato, segundo a denúncia, serviu de fonte de recurso para a compra de apoio político e rendeu R$ 50 mil ao parlamentar. O deputado responde pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato. Diz que desconhecia a origem do dinheiro, sacado por sua esposa, e que achava que a quantia tivesse sido contabilizada pelo PT para pagamento de pesquisas.

Continuar lendo

Publicidade Publicidade