Janot diz que tem mais “flechas” e surpresa contra Temer

ABr

"Receber dinheiro é a chapada do crime de corrupção”

 

A pouco mais de um mês de deixar o cargo, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, diz que ainda tem “flechas” para disparar contra o presidente Michel Temer. Em entrevista à Folha de S.Paulo, Janot afirma que as investigações e as delações em andamento ainda vão trazer “surpresa”. “Restam flechas. A gente não faz uma investigação querendo prazo e pessoas. As investigações vão ficando maduras até que se possa chegar ao final. E várias estão bem no finalzinho. Eu diria que tem flecha”, declara.

O procurador-geral da República, cujo mandato se encerra em 17 de setembro, diz que a Câmara terá de arcar com as consequências de ter impedido o presidente de ser investigado agora, mas que o peemedebista terá de se submeter à Justiça assim que deixar o cargo. Segundo ele, apenas “um país de carochinha” pode acreditar que alguém que designa um laranja para acertar um acordo ilícito receba pessoalmente o dinheiro.

“Temos de entender que o crime de corrupção não precisa de você receber o dinheiro, é aceitar ou designar a proposta. Receber o dinheiro é a chapada do crime de corrupção”, explica. “Jamais alguém vai comprovar”, acrescenta. Questionado sobre quais novidades poderiam vir das delações em andamento, como a do doleiro Lúcio Funaro e a do ex-deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Janot desconversou: “A surpresa você vai deixar para mim, né?”

Mesmo sem confirmar quando e qual será a próxima denúncia que apresentará contra Michel Temer, Janot mostra convicção de que o presidente avalizou a compra do silêncio de Cunha.

“‘Tem que manter isso’ o que é? Uma compra de carne? É uma feitura de suco? É fazer lanche? Qual era o fato que se discutia? ‘Eu estou segurando a boca de duas pessoas, Cunha e Funaro’. “Muito bom, muito bom, tem que manter isso.” Esse diálogo não foi negado pelo presidente, mas ele diz assim: “A interpretação que eu faço desse diálogo é outra”. Se a gente não vive o país da carochinha, vamos interpretar o que está dito, gravado”.

Leia a íntegra da entrevista de Janot aos jornalistas Leandro Colon e Reynaldo Turollo Jr. na Foha de S.Paulo

Câmara rejeita pedido para investigar Temer

O voto de cada deputado sobre o pedido de investigação contra Temer


Continuar lendo

Publicidade Publicidade