Sábado, 25 de Fevereiro de 2017

Grupo fecha estrada e marca protesto na Câmara Legislativa contra aumento de passagens

Manifestantes atearam fogo em pneus e interromperam o trânsito na Estrada Parque Taguatinga-Guará (EPTG). Movimento Passe Livre-DF assumiu a responsabilidade do protesto e vai pressionar distritais a derrubarem aumento

 

Mais um ato contra o aumento de até 25% no preço das passagens de ônibus e metrô marcou a manhã do brasiliense nesta terça-feira (10). Desta vez, os manifestantes interromperam o trânsito na Estrada Parque Taguatinga-Guará (EPTG) – importante via de ligação entre algumas das principais cidades do Distrito Federal e o Plano Piloto. O protesto durou cerca de uma hora. O trânsito teve de ser desviado para as vias marginais porque alguns manifestantes atearam fogo em pneus.

O ato foi organizado pelo Movimento Passe Livre do Distrito Federal (MPL-DF), que desde o anúncio do reajuste no preço das passagens tem protestado contra o governo de Brasília. Em nota, o grupo afirmou que interrompeu o trânsito na EPTG “para lembrar todas e todos que agora têm seu direito de ir e vir impedido por conta desse absurdo aumento de passagens”. Na quinta-feira (12), o movimento promete ir à Câmara Legislativa pressionar os deputados a revogar o reajuste.

A Secretaria de Segurança Pública avaliou o ato como uma “pequena manifestação”. Em nota, a pasta informou que quando a Polícia Militar chegou ao protesto não havia manifestantes pois eles atearam fogo em pneus e deixaram o local. “O Corpo de Bombeiros apagou o fogo, retirou os pneus e o trânsito foi totalmente liberado”, afirmou a Secretaria.

MPL-DF
MPL-DF

Manifestantes prometem ir à Câmara Legislativa na quinta-feira

Os distritais marcaram uma sessão extraordinária, em meio às férias parlamentares, para derrubar o decreto do governador que reajustou o preço dos bilhetes. Um grupo de trabalho foi formado na Casa e apresentará uma projeto de decreto legislativo (PDL) para suspender o aumento e discutir outras formas de readequação do sistema. Para que o aumento seja anulado, a proposta precisa do apoio de 13 dos 24 parlamentares que compõem a Casa.

Ainda que queiram revogar o decreto do governador, os distritais reconhecem que o sistema atualmente está insustentável. Em 2016, o governo gastou R$ 600 milhões para custear gratuidades do sistema de transporte público. Rodrigo Rollemberg, por sua vez, sugeriu à Câmara que arcasse com parte desses custos.

Leia a íntegra da nota do Movimento Passe Livre DF:

“Hoje interrompemos o trânsito na EPTG para lembrar que nosso direito de ir e vir está cada vez mais impedido com os absurdos aumentos de tarifa. Não nos calaremos até que o governo reveja essa medida que só beneficia os empresários do transporte, sem questionar seus lucros, fraudes e privilégios . A solução para o transporte coletivo não passa por aumentos constantes de passagem ou pelo corte de direitos como o passe livre, como a CLDF propõe. A solução para os transportes é a tarifa zero, financiada pelos mais ricos, gerida por comitês populares, executada por empresas públicas, com segurança para rodoviários e rodoviárias. Revogação do aumento das passagens já! Quinta feira estaremos na Câmara Legislativa do DF. Vamos todo mundo!”

Leia a íntegra da nota da Secretaria de Segurança Pública:

“A Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social informa que, na manhã de hoje (10), houve uma pequena manifestação na EPTG sentido Taguatinga/Plano Piloto, o que provocou o bloqueio da via principal (as marginais estavam liberadas).

A Polícia Militar do Distrito Federal informou que, quando chegou ao local, não havia manifestantes pois eles atearam fogo em pneus e deixaram o local. O Corpo de Bombeiros apagou o fogo, retirou os pneus e o trânsito foi totalmente liberado. O fato começou às 7h40 e durou cerca de 40 minutos.”

Mais sobre Brasília

Mais sobre o Brasil nas Ruas

Continuar lendo

Curtir Congresso em Foco no Twitter e Facebook:

comments powered by Disqus
Publicidade Publicidade