Grito de “ditadura nunca mais” é um dos momentos mais aplaudidos da entrega do prêmio

 

Paulo Negreiros / Congresso em Foco

“A democracia envolve sempre o risco de erros, mas nenhum desses erros é comparável à barbárie das ditaduras”, ressaltou o fundador do Congresso em Foco, Sylvio Costa, durante noite histórica em Brasília

 

A discussão ditadura x democracia marcou a décima edição do Prêmio Congresso em Foco. O tema apareceu em vários discursos do evento de premiação, realizado na noite da última quinta-feira (19) em Brasília. Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), o deputado mais votado pelo voto popular, defendeu o regime militar de 1964/1985 e foi alvo da primeira vaia da história do prêmio. A democracia foi defendida em pronunciamentos de vários parlamentares, como a senadora Ana Amélia (PP-RS) e os deputados Jean Wyllys (Psol-RJ) e Alessandro Molon (Rede-RJ).

<< Jean Wyllys celebra diversidade e repudia fascismo ao receber Prêmio Congresso em Foco

<< Eduardo Bolsonaro defende ditadura e é vaiado na entrega do Prêmio Congresso em Foco

O tema foi trazido à tona logo no início do evento pelos mestres de cerimônia, Patrícia Marins e Sylvio Costa. Ela, que é diretora da agência de comunicação InPress Oficina e foi uma das organizadoras do evento, destacou a importância do Poder Legislativo para a democracia. Sylvio, fundador do Congresso em Foco, disse que os políticos envolvidos em atos ilícitos devem ser punidos nas urnas, pelo Judiciário e pelo próprio Congresso Nacional, mas enfatizou que não se pode condenar todo o Parlamento, como instituição, pelas falhas dos seus integrantes.

E acrescentou: “A democracia envolve sempre o risco de erros, mas a história mostra que nenhum desses erros é comparável à barbárie das ditaduras. Aqui, e esperamos que para sempre no Brasil, deixamos o nosso grito: ditadura, nunca mais!”. Foi um dos momentos mais aplaudidos de uma noite histórica, que reuniu dez senadores, 22 deputados federais e cerca de 500 convidados.

 

Veja o vídeo:

Em sua fala, o fundador do Congresso em Foco afirmou: “Vivemos um momento de muita intolerância e de muita violência, e violência sobretudo contra as mulheres, os negros, a população LGBT, os indígenas e as demais parcelas oprimidas da nossa sociedade. Vivemos também um momento em que alguns, exaltando supostas virtudes do regime militar, tentam tirar o fascismo do túmulo a que foi condenado à custa de muitas vidas. Este evento só é possível porque não estamos sob o domínio do fascismo”, afirmou Sylvio, fundador do Congresso em Foco e um dos jurados do prêmio.

Durante todo o evento, uma grande tela em LED alternava a exibição da marca dos dez anos de prêmio com a bandeira do arco-íris, que este site encampou desde junho de 2016, deixando estampado o seu compromisso com “o respeito às diferenças”. Uma noite com a vibração própria de um prêmio que se tornou extremamente disputado. Houve torcida em favor de premiados, discursos inflamados (publicaremos no site todos eles em vídeo), tensão, muitas cenas de emoção e música brasileira de alta qualidade, a cargo da cantora Clara Nogueira e do regional de Nelsinho Serra.

Foram premiados congressistas ligados a 16 dos 28 partidos representados no Congresso. Eles foram selecionados de três formas: por um júri especializado, por meio de votação na internet e pelos jornalistas que cobrem o Congresso.

Clique nos links abaixo e veja quais foram os premiados e a votação na internet de todos os participantes do Prêmio Congresso em Foco 2017:



 

O Prêmio Congresso em Foco teve o patrocínio e apoio da AmbevAnabbGoverno de Mato GrossoUberAPCFAnffa SindicalSinprofazAnfipAnadefAMBCiclo de GestãoFebrafiteAbrigOAB-DFSindicato dos Jornalistas

<< Todas as matérias sobre o Prêmio Congresso em Foco 2017

 

Patrocínio:


Apoio:

 

Apoio Institucional:

 


Continuar lendo

Publicidade Publicidade