Governadores e ministro das Cidades anunciam retomada das obras de Corumbá 4 em Goiás

Rodrigo Rollemberg, Marconi Perillo e Bruno Araújo fizeram anúncio oficial nesta quinta-feira (11). Obras no território de Goiás estavam suspensas por recomendação do Ministério Público Federal, sob suspeita de superfaturamento

Agência Brasília

Os governadores Rodrigo Rollemberg (PSD-DF) e Marconi Perillo (PSDB-GO) e o ministro das Cidades Bruno Araújo visitaram obras de Corumbá 4 em Valparaíso (GO) nesta quinta-feira (11)

 

Os governadores Rodrigo Rollemberg (PSD-DF) e Marconi Perillo (PSDB-GO) e o ministro das Cidades, Bruno Araújo, anunciaram na manhã desta quinta-feira (11) a liberação das obras na parte goiana do Sistema Produtor Corumbá 4. As obras, que estavam paradas por suspeitas de ilícitos, como superfaturamento da obra e irregularidades em contratos, serão retomadas. A previsão de conclusão é entre o fim de agosto e início de setembro de 2018. Brasília enfrenta uma severa crise hídrica, com volume de chuvas inferior à média histórica e redução do volume de água da Bacia do Descoberto, principal fonte de abastecimento do DF.

Os governadores e o ministro fizeram o anúncio na manhã desta quinta-feira, na estação de tratamento de água (ETA) de Valparaíso (GO), setor que é de responsabilidade do Distrito Federal. Rollemberg, Perillo e Araújo também fizeram vistoria da obra ao lado dos presidentes das companhias de abastecimento de água Caesb e da Saneago, Jalles Fontoura e Maurício Ludovice, respectivamente. A estimativa é que Corumbá 4 seja capaz de captar 5600 litros por segundo e distribua a água para aproximadamente 1,3 milhão de pessoas em ambos os estados.

Durante o anúncio, Rollemberg relembrou que o Distrito Federal enfrenta uma crise hídrica agravada por chuvas abaixo da média histórica e ausência de investimentos em captação de água nos últimos 16 anos. De acordo com o governador, a conclusão do Sistema “vai dar tranquilidade para a população pelos próximos 20 ou 30 anos”. Além de Corumbá 4, o DF está investindo no subsistema do Bananal e na captação de água do Lago Paranoá, que juntos deverão atender cerca de 600 mil pessoas na região do Lago Oeste, no Tororó, nos Condomínios Jardim ABC, Jardim Botânico e Alphaville e em Sobradinho. Expectativa é que Bananal seja concluída ainda neste ano.

O ministro das Cidades elogiou o “bom senso” dos governos, enquanto Perillo mencionou a “sintonia total” com o governo de Brasília. O custo das obras está orçado em R$ 540 milhões e será dividido igualmente entre os dois estados.

Metrô de Brasília

Bruno Araújo também mencionou que ele e o governador Rollemberg começaram as conversas sobre o projeto de expansão do metrô da capital federal. Entretanto, nenhum dos dois deu mais informações sobre as tratativas.

Mais sobre crise hídrica

Continuar lendo
Publicidade Publicidade