Empresas de Alckmin usam imóveis de cunhado acusado de propina, revela a Folha

Alckmin

Três empresas da família do governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB), têm ou tiveram como sede um edifício comercial de propriedade de seu cunhado Adhemar Ribeiro, acusado por dois delatores da Odebrecht de ter recebido R$ 2 milhões no caixa dois para a candidatura do tucano em 2010. A informação é da Folha de S.Paulo.

De acordo com a reportagem de Thais Bilenky, em ao menos duas eleições – para a prefeitura de São Paulo, em 2008, e para o governo paulista, em 2010 -, as campanhas de Alckmin tiveram uma base no imóvel. O governador mantém vínculo com o escritório do cunhado, na avenida Nove de Julho, no bairro do Itaim Bibi, na capital paulista, desde 2006. Foi lá que, duas semanas após ser derrotado em segundo turno pelo ex-presidente Lula (PT), que Alckmin registrou a Humanitas Fórum, Palestras & Cultura no endereço.

O mesmo prédio serviu de sede para a Trigo Assessoria, agência de notícias de Sophia Alckmin, filha do tucano, com uma sócia, de 2009 a 17 de fevereiro de 2017, quando elas mudaram de endereço.

A migração da agência da filha de Alckmin, ressalta a Folha, ocorreu 18 dias depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) homologar a delação da Odebrecht, o que resultaria na divulgação, em abril do ano passado, dos depoimentos dos ex-executivos da construtora.

Um dos delatores da Odebrecht, Carlos Armando Paschoal, ex-superintendente da construtora em São Paulo, relatou a atuação de Ribeiro na campanha de Alckmin. O delator contou que foi levado por um conselheiro já morto da Odebrecht “a uma reunião com Geraldo Alckmin no escritório deste, na avenida Nove de Julho, próximo à avenida São Gabriel”. O endereço coincide com o do escritório do cunhado.

Segundo ele, Alckmin conversou e negociou com o conselheiro da empreiteira. Depois, apresentou a eles o seu cunhado e disse que o que havia sido combinado poderia ser tratado com ele. Paschoal disse que ele e Ribeiro se encontraram em vários lugares, de julho a outubro de 2010, para efetuar os repasses.

Parentesco

A assessoria do governador de São Paulo informou que a Humanitas foi criada para realizar as atividades de professor e palestrantes. Além da Humanitas, duas empresas de seus filhos, Trigo Assessoria e TSA, também tiveram como sede o mesmo endereço, na avenida Nove de Julho, em São Paulo.

“As salas foram cedidas em razão do parentesco entre Adhemar Ribeiro e a família Alckmin, em dezembro de 2006, num momento em que o governador não detinha cargo público, e sem cobrança de aluguéis”, afirmou.  Segundo o tucano, nenhuma das empresas tem funcionários e a última nota fiscal foi emitida pela Humanitas em outubro de 2009.

<< Veja a reportagem da Folha de S.Paulo

Continuar lendo