Eduardo Bolsonaro defende ditadura e é vaiado na entrega do Prêmio Congresso em Foco

Paulo Negreiros/Congresso em Foco

Eduardo Bolsonaro voltou a render homenagens aos “militares de meia quatro”

 

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), filho do presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ), foi um dos campeões de votos, na eleição pela internet, da décima edição do Prêmio Congresso em Foco. Depois de anunciado como o vencedor da votação popular, ele colocou em prática seu discurso conservador, defendeu o regime militar de 1964/1985 e, acendendo a discussão ditadura versus democracia, foi alvo da primeira vaia da história do prêmio (veja vídeo abaixo).

<< Grito de “ditadura nunca mais” é um dos momentos mais aplaudidos da entrega do prêmio

As vaias começaram tão logo Eduardo começou a se encaminhar ao palco. Ironizando a situação, o deputado arriscou: “Agradeço o apoio dos colaboradores da ala do Psol, ali mais à minha direita”. O gracejo não parece ter surtido efeito, mas o parlamentar conseguiu dar início ao seu discurso. “Eu fui imbuído aqui pelo espírito democrático na abertura da fala do prezado Sylvio – parabéns pela festa, Sylvio, muito bem organizada, de coração – e saúdo, dessa maneira, os militares de 64 por terem impedido a implementação de uma ditadura, em nosso país, de esquerda”, discursou Eduardo, ouvindo o volume das vaias aumentar quase a ponto de abafar sua fala. Mas ele continuou, mesmo em meio aos apupos.

“E, certamente, como todos nós aqui queremos combater a ditadura… como todos nós queremos combater a ditadura, eu me impressiono como é que, nos tempos de hoje, alguns deputados podem ainda apoiar o regime da Venezuela ou o regime da Coreia do Norte. Mas eu não vim aqui para falar disso”, completou, já em meio a vaias generalizadas. Neste momento, o fundador do Congresso em Foco, Sylvio Costa, interferiu para pedir à plateia que deixasse o deputado concluir sua intervenção, acalmando os ânimos por alguns instantes.

 

Veja o discurso do deputado:

 

Depois da ponderação do jornalista, Eduardo retomou a fala e passou a atacar a esquerda. “Todos já conhecem a velha tática da esquerda de dividir para conquistar. É por isso que existe a segmentação ente negros, mulheres, estudantes, trabalhadores… É por isso que existe, hoje, CUT, MST, MTST, Levante Popular da Juventude, movimento negro, feminista. É por isso que, quando Lula fala em mulher de grelo duro, o movimento feminista não fala nada. A gente sabe como é que a banda toda”, provocou o congressista, dizendo representar a “família brasileira” no Prêmio. Em seguida, a trégua foi interrompida e o deputado voltou a ser muito vaiado ao encerrar seu discurso, mas tudo voltou ao normal com a consecução da histórica premiação.

Durante todo o evento, uma grande tela em LED alternava a exibição da marca dos dez anos de prêmio com a bandeira do arco-íris, que este site encampou desde junho de 2016, deixando estampado o seu compromisso com “o respeito às diferenças”. Uma noite com a vibração própria de um prêmio que se tornou extremamente disputado. Houve torcida em favor de premiados, discursos inflamados (publicaremos no site todos eles em vídeo), tensão, muitas cenas de emoção e música brasileira de alta qualidade, a cargo da cantora Clara Nogueira e do regional de Nelsinho Serra.

Foram premiados congressistas ligados a 16 dos 28 partidos representados no Congresso. Eles foram selecionados de três formas: por um júri especializado, por meio de votação na internet e pelos jornalistas que cobrem o Congresso.

 

Clique nos links abaixo e veja quais foram os premiados e a votação na internet de todos os participantes do Prêmio Congresso em Foco 2017:



 

O Prêmio Congresso em Foco teve o patrocínio e apoio da AmbevAnabbGoverno de Mato GrossoUberAPCFAnffa SindicalSinprofazAnfipAnadefAMBCiclo de GestãoFebrafiteAbrigOAB-DFSindicato dos Jornalistas

<< Todas as matérias sobre o Prêmio Congresso em Foco 2017

 

Patrocínio:


Apoio:

 

Apoio Institucional:


Continuar lendo

Publicidade Publicidade