Devido às ocupações, Enem 2016 é adiado para 191 mil estudantes

Gustavo Goes/Brasília Capital

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), 304 colégios listados como locais de provas estão ocupados

 

Ao todo, 191.494 dos 8,7 milhões de inscritos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não poderão fazer a avaliação no próximo final de semana em razão das 304 ocupações em colégios listados como locais de prova. Os alunos afetados farão o Enem nos dias 3 e 4 de dezembro. Os dados foram divulgados hoje (terça, 1°) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e a lista com todas as escolas ocupadas deve ser publicada a partir das 18h no site do Instituto.

Para a presidente do Inep, Maria Inês Fini, a mudança não afeta os estudantes. “Não acredito que mais de um mês aumentará a vantagem de uns em relação a outros. O preparo para o Enem é feito durante todo o Ensino Médio”, afirmou. Contudo, o prazo de divulgação dos resultados da prova está mantido para o dia 19 de janeiro.

A mudança ocorreu devido às manifestações de estudantes contra a PEC que estabelece um teto para os gastos públicos e a proposta de reforma do ensino médio. Ao todo, segundo balanço da União Nacional dos Estudantes (UNE), mais de mil locais, contando escolas estaduais e institutos federais do ensino médio e fundamental, estão ocupados em todo o país. Além de outras 135 instituições de ensino superior.

Segundo a presidente do Inep, as ocupações têm um teor político, mas são um movimento “legítimo”. Para ela, é preciso ter cuidado com as mobilizações como esta porque “afeta a vida de outros estudantes que precisariam destes locais para terem a prova aplicada”. Ressaltou, ainda, que seria inviável manter a data original do Enem para todos os inscritos, com a seleção de outros locais para aplicar as provas em substituição aos ocupados.

Mais sobre educação

Mais sobre o Brasil nas ruas

Continuar lendo

Publicidade Publicidade