Cinco motivos para apoiar o jornalismo investigativo da Agência Pública

Agência Pública foi fundada e é dirigida por mulheres

 

A Agência Pública é uma organização fundada e dirigida por mulheres e que faz ​bom jornalismo. Tanto que muitas das reportagens são republicadas aqui no Congresso em Foco. ​

No último mês de setembro, a Pública abriu uma campanha de financiamento coletivo. Se baterem a meta e arrecadarem R$ 80 mil até 26/10, ​as repórteres ​vão fazer oito investigações eleitas pelo público.

​Funciona assim: todo mês, os​ jornalistas propõem três pautas para os ​doadores do projeto, que votam em qual deve virar realidade.

Cinco reportagens especiais serão publicadas como resultado da campanha

Além de escolher as pautas, quem contribuir com ​o crowdfunding pode ganhar livros, adesivos, ilustrações e participar de um workshop sobre como checar fake news. Aqui está o site da campanha: www.catarse.me/reportagempublica2017

​Quer saber mais sobre​ a Pública? Veja aqui

Listamos ​cinco reportagens ​que você leu aqui no Congresso em Foco pra te incentivar!

1. As Bancadas do Congresso

Em 201​6, ​a Pública listou as bancadas mais poderosas do Congresso, como a agropecuária, das mineradoras, das construtoras e evangélica.

2. Nenhum país adotou teto de gasto como a PEC 241

Uma das checagens feitas pelo Truco no Congresso verificou como eram os tetos de gastos adotados por outros países e revela que nenhum deles propôs um teto como o do Brasil.

3. Os Pastores do Congresso

A Agência Pública investigou a influência das igrejas evangélicas na política brasileira. A reportagem foi financiada e teve seu tema escolhido pelo público na segunda edição do projeto Reportagem Pública, realizada em 2015.

4. São Gabriel e seus demônios

A Agência Pública produziu essa grande reportagem sobre o município de São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, que é ao mesmo tempo o município mais indígena do Brasil e também o que tem o maior índice de suicídios. Essa reportagem, publicada pelo Congresso em Foco, foi a vencedora do Prêmio Gabriel Garcia Marquez na categoria texto.

5. Uma pena, duas medidas

Neste ano, a Pública investigou como é concedida a prisão domiciliar no Brasil e descobriu que enquanto as mulheres com filhos pequenos lutam para obter a prisão domiciliar, direito previsto por lei, presos da Lava Jato gozam desse benefício sem amparo da legislação penal.

 

Gostou? Faça sua contribuição! https://www.catarse.me/reportagempublica2017

Continuar lendo

Publicidade Publicidade