Deputados e senadores investigados no STF – Amapá

Amapá


Deputados:


Cabuçu Borges (PMDB): Responde ao inquérito 4488, por crimes da Lei de Licitações.

Janete Capiberibe (PSB): Investigada no inquérito 4113, por crimes eleitorais.

Jozi Araújo (Podemos): É investigada nos inquéritos 4235, por crimes da Lei de Licitações e peculato, e 4500, por lesão corporal e ameaça. Segundo a acusação, Noel dos Santos Almeida emprestou R$ 35 mil à deputada durante a campanha eleitoral de 2014 e recebeu três cheques sem fundos como garantia. Ele alega que, em 2015, encontrou Jozi e outras duas pessoas no aeroporto de Macapá e, ao cobrar o pagamento, foi ameaçado. Noel relatou ter sido torturado por homens encapuzados que, acredita, agiram a mando da deputada. Jozi afirma ser ela a vítima e acusa Noel de ameaçá-la de morte por mensagens de celular.

Marcos Reategui (PSD): Réu em três ações penais (942, 945 e 914), por crimes contra a administração em geral e violação do sigilo funcional, crimes contra o sistema financeiro nacional e peculato, e investigado no inquérito 4237, por crimes da Lei de Licitações, formação de quadrilha, falso testemunho ou perícia e falsidade ideológica.

Roberto Góes (PDT): O deputado mais votado do Amapá e ex-prefeito de Macapá é o atual campeão em processos no STF, com 18 acusações criminais. Ele é réu em dez ações penais (916, 924, 928, 936, 949, 970, 984, 986, 992 e 994) e investigado em oito inquéritos (4295, 4255, 4254, 4253, 3950, 4049, 4067 e 4485). Responde por corrupção, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e lesão corporal, entre outros crimes. Em dezembro de 2010, foi preso na Operação Mãos Limpas, acusado de participar de um esquema de desvio de verbas federais por servidores públicos e políticos do estado. Solto dois meses depois, reassumiu a prefeitura. Em maio de 2016, foi condenado a dois anos e oito meses de prisão por peculato, crime atribuído a ele no último ano como prefeito de Macapá. A sentença foi convertida em uma hora de trabalho voluntário por dia por igual período. Também foi fixada multa equivalente a 20 salários mínimos em gêneros alimentícios, medicamentos ou material escolar. Ele recorreu da decisão, e o processo continua em andamento no Supremo. A reportagem procurou o deputado, mas não houve retorno.

Vinicius Gurgel (PR): Inquéritos 3529, 3697, 3944 e 4037, por crimes contra a ordem tributária e eleitorais.

 

Senadores

 

Davi Alcolumbre (DEM)

Responde ao inquérito 4353, por crimes eleitorais. Nem o senador nem o seu gabinete se manifestaram sobre o assunto.

 

————– OUTROS ESTADOS ————

Voltar ao topo
Imprimir
Publicidade Publicidade